Bad 30 anos: um registro visual dançante e exuberante da obra de Michael Jackson

Redação Publicado em 31/08/2017, às 09h16 - Atualizado às 09h17

Bad 30 anos - abre
AP

"I Just Can't Stop Loving You"



Foi na última hora que ficou decidido que Siedah Garrett cantaria com Jackson nesta faixa, que se tornou o primeiro single de Bad. Assim, devido a conflitos de agenda, um vídeo oficial da canção nunca foi gravado. Ao vivo, Jackson chamava uma de suas cantoras de apoio para interpretar a canção com ele. Em 1989, durante a turnê do disco, quem dava suporte vocal ao Rei do Pop era ninguém menos que Sheryl Crow. Aqui está ela, com um cabelão típico da época, fazendo dueto com Jackson em uma apresentação em Wembley.


“Dirty Diana”



Este aqui simula uma apresentação ao vivo do cantor. O guitarrista Steve Stevens, que toca na versão de estúdio, também faz uma aparição.


“Man in The Mirror”



Michael Jackson só aparece por alguns segundos neste vídeo dirigido e editado por Don Wilson. O clipe é uma montagem de cenas históricas de eventos como A Marcha Pelos Direitos Civis, A Guerra do Vietnã e o Live Aid. Aparecem personalidades como o Dr. Martin Luther King, John F. Kennedy, John Lennon, Nelson Mandela e Mahatma Gandhi.


“The Way You Make Me Feel”



O clipe dirigido por Joe Pytka mostra Jackson flertando com uma bela garota (a modelo e dançarina Tatiana Thumbtzen) em becos e ruas escuras. Ela inicialmente rejeita os galanteios do Rei do Pop, mas no final eles ficam juntos.


“Smooth Criminal”



Ambientado em um esfumaçado clube de jazz cheio de gângsteres e figuras suspeitas, “Smooth Criminal” é estruturado como se fosse um filme noir. Até hoje ele é considerado um dos grandes vídeos de toda a carreira de Michael Jackson. O momento em que ele e seus dançarinos se inclinam, desafiando a lei da gravidade, entrou para a história.


“Bad”



Michael Jackson queria que George Lucas ou Steven Spielberg dirigisse o vídeo, mas o empresário Frank DiLeo sugeriu Martin Scorsese para dar mais contundência ao trabalho. Scorsese fez duas versões, uma com quase 18 minutos, especialmente para home video e outra com 4, para ser exibida na televisão. Filmado em locais do Harlem e também em uma plataforma de metrô no Brooklyn, “Bad” é coestrelado por Wesley Snipes em início de carreira e mostra Jackson como um garoto enfrentando a gangue dentro da qual crescera. Jackson insistiu em fazer muitas tomadas, a cena em que ele enfrenta Snipes foi rodada 40 vezes. Scorsese elogiou o detalhismo e profissionalismo de Jackson, mas disse que o cronograma e orçamento foram para o espaço. “Foram duas semanas e meia só na sequência de dança”, contou.