Katy Perry: 5 coisas que você pode esperar do show da diva pop

Redação Publicado em 19/10/2017, às 18h41 - Atualizado às 18h59

Katy Perry (abre galeria)
AP

Por: Redação

Nesta quinta-feira, 19, o jornalista José Norberto Flesch, do Destak, afirmou, no Twitter, que Katy Perry trará a Witness Tour ao Brasil em 2018. A publicação na rede social não trouxe muitas outras informações, apenas que as performances aconteceriam em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Caso a notícia seja confirmada, é bom estar preparado. Por isso, reunimos nossos conhecimentos sobre a diva pop para dizer o que se pode esperar de um próximo show de Katy no Brasil.


Uma chuva de Witness

O quinto disco da carreira de Katy chegou em junho para mostrar um lado mais ousado e maduro da cantora. Com uma pegada puxada para o eletrônico, o álbum é um ponto fora da curva na carreira dela e domina os seus últimos setlists, com “Witness”, “Roulette”, “Chained to the Rhythm”, “Bon Appétit” e “Swish Swish” sendo apostas garantidas.


Nostalgia com Teenage Dream

O contraste para o novo vem com os grandes sucessos do terceiro disco de Katy, lançado em 2010. Os coros do público são garantidos em canções como “Last Friday Night (T.G.I.F.)”, “California Gurls”, “E.T.”, “Firework” e, claro, a faixa título do álbum.


“I Kissed a Girl”

Há nove anos, Katy esperava que o namorado dela não se importasse porque ela havia beijado uma menina. E parece que nada mudou. O hit que colocou o nome da cantora em evidência no mundo pop continua presente, mesmo após quase uma década do lançamento de One of the Boys (2008).


Roupas brilhantes



A cantora está elevando o brilho ao máximo na Witness Tour. Seja com um macacão de lantejoulas vermelhas ou uma peruca de cristais, Katy está pronta para se tornar uma figura inesquecível em cima dos palcos.


Elementos visuais megalomaníacos

Não é só com as roupas e com os hits que Katy torna a apresentação inesquecível. Durante o show, ela também abusa de elementos visuais megalomaníacos como um telefone rosa e bolas de basquete gigantes. Os dançarinos que acompanham a cantora são uma atração a parte, nunca ficando no “pretinho básico”, e esbanjando penas, plumas e o que mais puderem usar.