Os melhores filmes de Brad Pitt, segundo os leitores da Rolling Stone EUA

Rolling Stone EUA Publicado em 28/11/2015, às 15h51 - Atualizado às 15h51

galeria brad pitt abre
Reprodução/Vídeo

1. Clube da Luta

Quatro anos depois de Seven: Os Sete Crimes Capitais, Brad Pitt voltou a trabalhar com Fincher em um clássico cult sobre um homem infeliz, interpretado por Edward Norton, que faz amizade com um homem que vende sabão – Brad Pitt. Os dois fundam um clube de luta, no qual homens se espancam por pura diversão. Trata-se de um filme profundamente inteligente, que premia os olhares mais atentos.


2. Seven: Os Sete Crimes Capitais

Há filmes obscuros. E há filmes realmente sombrios. E há Seven, de David Fincher. É o tipo de filme que começa com uma série de assassinatos repletos de sangue e só piora a partir disso. Brad Pitt interpreta um policial em uma cidade cinza, na qual chove perpetuamente, e é apenas um pouco mais agradável do que o inferno.


3. Lendas da Paixão

Dois anos após Nada É para Sempre, Brad Pitt fez outro filme sobre personagens trágicos em Montana no tempo da Primeira Guerra Mundial. Desta vez, o enredo é sobre três irmãos em um local remoto, onde se apaixonam pela mesma mulher, interpretada por Julia Ormond. É um conto épico que não se vê em Hollywood nos dias de hoje.


4. Snatch: Porcos e Diamantes

Depois de sucessivos títulos de êxito, o diretor britânico Guy Ritchie teve a oportunidade de fazer um filme que contaria com grandes nomes no elenco. Brad Pitt foi um desses. Em Snatch: Porcos e Diamantes, o ator vive um boxeador irlandês que se envolve com gângsteres em um esquema de lutas clandestinas.


5. Os Doze Macacos

O ano é 2035 e um terrível vírus matou 99% da população mundial. Os sobreviventes vivem no subsolo em condições esquálidas e mandam Bruce Willis para o passado em uma tentativa de deter o vírus. Mas, acidentalmente, ele é enviado para uma instituição mental na qual conhece Brad Pitt.


6. Bastardos Inglórios

Quentin Tarantino estava em um raro momento de declínio em 2009. O filme Grindhouse, de 2007, havia sido um fiasco, sugerindo que o cineasta estivesse precisando de uma renovação. Então, Tarantino lançou Bastardos Inglórios, uma história alternativa da Segunda Guerra Mundial, tendo Brad Pitt como líder de um grupo de judeus que realizava uma brutal vingança contra os nazistas. O longa foi um sucesso absoluto e foi o ponto de partida para uma nova fase da carreira do diretor.


7. Kalifornia - Uma Viagem ao Inferno

Utilizanda a rara chance de mostrar o seu lado sombrio, Brad Pitt interpreta um assassino psicótico no thriller de 1993. O personagem dele é um homem desempregado em regime condicional, que entra em contato com uma estudante (interpretada por David Duchonvy) que pesquisa sobre assassinos em série. O filme não fez uma grande bilheteria, mas foi aclamado pela crítica.


8. Amor à Queima-Roupa

Antes anos de Quentin Tarantino se tornar famoso, ele foi empregado em uma locadora de filmes, além de trabalhar em um longa tratado como o Bonnie e Clyde dos tempos modernos. Ele, então, filmou My Best Friend's Birthday, no entanto, metade do material foi perdido em um incêndio. Cinco anos depois, Tarantino utilizou o mesmo roteiro para um longa de Tony Scott, chamado Amor à Queima-Roupa. No filme Brad Pitt tem um papel discreto, mas ele fez o melhor que conseguiu.


9. Nada É para Sempre

Brad Pitt se aproximava dos 30 anos quando Nada É para Sempre foi lançado, mas ele era mais conhecido pelos pequenos papéis em Thelma & Louise e Mundo Proibido, no qual ele interpretou um policial que acaba em um mundo de desenhos animados. Em Nada É para Sempre, Pitt interpreta o filho de um pastor na década de 1920, em Montana, nos EUA. O denso papel permitiu com que o ator demonstrasse todo o seu talento.


10. Tróia

É difícil pensar em uma história mais épica do que a Guerra de Troia. O conflito foi tema de diversos filmes, mas o cineasta Wolfgang Petersen, em 2004, produziu o melhor deles. Ele escalou Sean Bean como Odisseu, Brian Cox como Agamenon e Brad Pitt como Aquiles. O filme custou US$ 175 milhões e arrecadou apenas US$ 133 milhões nos Estados Unidos. No entanto, no exterior, a audiência do longa foi enorme e gerou mais de meio bilhão de dólares em receita.