Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Cinema / NOVIDADE

Som da Liberdade, filme mais polêmico do ano, chega às plataformas digitais

Longa está disponível para compra e aluguel em diversos serviços de streaming

Som da Liberdade, filme mais polêmico do ano, chega às plataformas digitais (Foto: Divulgação/Paris Filmes)
Som da Liberdade, filme mais polêmico do ano, chega às plataformas digitais (Foto: Divulgação/Paris Filmes)

Considerado o filme mais polêmico do ano, Som da Liberdade, que ainda está em cartaz em salas de cinemas selecionadas no Brasil, agora também está disponível em plataformas digitais como Apple TV+, Amazon Prime Video e Google Play Filmes, com preços entre R$ 29,90 para aluguel e R$ 39,90 para compra.

Som da Liberdade é a adaptação cinematográfica da história de Tim Ballard, um agente especial do governo norte-americano, responsável por prender pedófilos há mais de uma década, salvando as vidas de incontáveis crianças, mesmo sem nunca ter levado nenhuma delas de volta para os seus lares.

+++ LEIA MAIS: Por que Som da Liberdade é considerado o filme mais polêmico do ano?

Confrontado com essa realidade, Ballard, vivido no filme por Jim Caviezel (Jesus Cristo em A Paixão de Cristo, de 2004), vê a possibilidade de mudar o foco do seu trabalho e, logo em sua primeira missão, é bem-sucedido e acaba recuperando o pequeno Miguel (Lucás Ávila), devolvendo-o ao seu pai, Roberto (José Zúñiga, Crepúsculo).

No entanto, a irmã de Miguel, Rocío (Cristal Aparicio), que foi sequestrada com ele, continua desaparecida, o que leva Ballard, um homem cristão, casado e pai de cinco filhos, a se colocar no lugar de Roberto e dedicar os seus próximos passos ao resgate da garota e outras tantas crianças, vítimas de tráfico sexual internacional. Assista ao trailer:

+++ LEIA MAIS: Lula, Pedro Pascal e Doja Cat estão entre as 100 pessoas mais influentes de 2023; veja lista

O elenco do filme ainda conta com Mira Sorvino (After - Depois da Promessa), Bill Camp (12 Anos de Escravidão), Javier Godino (O Segredo dos Seus Olhos), Yessica Borroto Perryman (Quatro Estações em Havana), Eduardo Verástegui (Segurança de Shopping 2) e Gustavo Sánchez Parra (Amores Brutos).

Nos Estados Unidos, logo após a estreia, Som da Liberdade foi acusado de ser um veículo de propagação da QAnon, uma teoria da conspiração da extrema-direita, que acredita na existência de uma elite global formada por adoradores de Satanás, canibais e pedófilos, responsável por sequestrar crianças para beber o seu sangue, entre outras barbaridades.

Porém, as acusações não impediram que Som da Liberdade se tornasse um sucesso e, desde julho, a produção já arrecadou US$ 184 milhões (cerca R$ 900 milhões na cotação atual) em bilheteria apenas nos Estados Unidos e mais US$ 60 milhões (R$ 293 milhões) no resto mundo, chegando próximo da marca de US$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhão) em arrecadação total.