Taís Araújo critica censura contra Medida Provisória, de Lázaro Ramos: 'Distopia se aproxima'

Essa não foi a primeira vez na qual Taís Araújo criticou censura - filme foi adiado por 'burocracia'

Redação Publicado em 16/05/2022, às 09h52

None
Taís Araújo, Seu Jorge e Alfred Enoch em Medida Provisória (Foto: Divulgação)

Estrela de Medida Provisória, filme nacional dirigido por Lázaro Ramos, Taís Araújo criticou censura contra o longa lançado em 14 de abril de 2022. Essa não foi a primeira vez na qual a atriz fez uma queixa sobre o assunto, porque a produção sofreu algumas dificuldades até chegar a entrar em cartaz no Brasil.

"Acho que o filme sofreu [censura] sim, mas ainda bem que foi liberado, porque o Brasil merece ver e discutir esse assunto," disse a estrela em entrevista à Vogue. "Esse filme, quando filmamos, era 2018… Enfim, nada do que vivemos hoje, essa tragédia não existia. Chamávamos de um futuro distópico, o que dá muito medo porque parece como essa distopia se aproxima muito."

+++LEIA MAIS: Astro de Harry Potter achou 'muito fácil' aceitar papel em filme de Lázaro Ramos: 'Fiquei empolgado'

Em outro momento da entrevista, Araújo elogiou bastante o trabalho do marido, Lázaro Ramos, nas filmagens: "É um filme que tem muito a identidade de direção do Lázaro, de começar meio leve como comédia e, quando você vê, não tem nada de engraçado, a situação é dramática, é trágica. Aí ele chama a gente para conversar, mas de uma maneira afetuosa."

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Taís Araujo (@taisdeverdade)

Censura contra Medida Provisória

Segundo Lázaro Ramos em entrevista à Folha de S. Paulo, Medida Provisória sofreu "censura burocrática": "O que sabemos é: um membro do governo puxou um boicote lá atrás, dizendo como o filme foi feito para falar mal do ‘messias’. Depois, precisávamos de uma simples assinatura para trocar nossa distribuidora, e isso demorou um ano e alguns meses para acontecer.

+++LEIA MAIS: Medida Provisória é segunda maior estreia nacional do ano; confira bilheteria

"Censura também se faz com burocracia e foi isso o que aconteceu. O flerte com a censura é expediente desse governo, a gente sabe," finalizou o diretor e ator.