Em Ritmo de Festa

Frejat inicia nova turnê solo e fala sobre o retorno do Barão Vermelho aos palcos

Por Patrícia Colombo Publicado em 11/07/2011, às 12h45 - Atualizado em 07/12/2011, às 15h13

RETOMADA BREVE A volta do Barão será temporária, diz Frejat
SAMUEL ESTEVES

Antes da reunião do Barão Vermelho, que deve ocorrer em 2012 (celebrando os 30 anos do lançamento do álbum homônimo), o vocalista Frejat segue em mais uma fase de sua carreira solo. O músico está atualmente em turnê "festeira", intitulada A Tal da Felicidade, que estreou em São Paulo no início deste mês. "A tônica do show é ser alegre. Nada de introspectivo ou melancólico", explica.

O lançamento mais recente de Frejat é a faixa "A Felicidade Bate à Sua Porta", composição de Gonzaguinha que, na versão com influência de disco music, se encaixa no conceito da turnê, servindo "como um cartão de apresentação do show". No repertório, músicas com levada positiva e em clima de celebração.

"Estou tentando não ter muita coisa do Barão porque, ainda mais no caso do Rock in Rio, pode acabar tendo uma semelhança de repertório e eu não acho isso bom para o meu trabalho", ele diz, entregando que o show dele no festival, em outubro, será uma versão resumida dessas apresentações.

Um novo álbum solo (sucessor de Intimidade Entre Estranhos, de 2008) não está nos planos do guitarrista, que deverá seguir lançando músicas avulsas "Prefiro talvez voltar aos anos 50 e fazer algumas coisas pingadas", conta. O relançamento remixado de Barão Vermelho, de 1982, também é um de seus objetivos para o ano que vem. "É um sonho antigo nosso", afirma. O retorno do álbum ao mercado integra o projeto da reunião comemorativa da banda (que contará com uma turnê pelo país), mas ele destaca que os desejos só se concretizarão caso haja investimento. "Temos planos, mas eles são todos grandes", salienta. "Só acontecerão se bem realizados. Se for uma coisa meia-boca, preferimos não fazer."

Antes que o assunto ganhe força, Frejat já acalma os ânimos ao esclarecer que não se trata de um retorno definitivo. "Depois cada um voltará às suas atividades. O Barão tem 15 discos e já fez o que tinha que ser feito. Com orgulho, carinho e amizade", explica. "E a banda não parou porque brigou."