Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Bruce Springsteen

Redação Publicado em 04/02/2011, às 16h19 - Atualizado às 16h19

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Divulgação
Divulgação

Bruce Springsteen

The Promise

Sony Music

Gravações “perdidas” do Boss feitas há mais de 30 anos ainda são relevantes

Entre 1976 e 1978, Springsteen lidou com o alarde de que era o futuro do rock e com a responsabilidade de gravar algo que pudesse superar Born To Run, sua obra-prima. Até que seu quarto disco oficial deestúdio, Darkness On The Edge Of Town, fosse lançado em 1978, Springsteen produziu muito no estúdio e o resultado dessas sessões, altamente pirateadas ao longo dos tempos, vem à luz do dia. The Promise é uma espécie de “elo perdido” na carreira do Boss, iniciando um processo de identificação de seus personagens outrora solitários como integrantes de um grande grupo de pessoas, no caso, a classe média trabalhadora norte-americana, achatada pelos anos pós-Vietnã. Sendo assim, canções como “Outside Looking In”, a versão original de “Because The Night”, o aceno ao Spanish Harlem mitológico em “Spanish Eyes” ou a epopéia automobilistica do original de “Racing In The Street” (presente em Darkness) dão foco à narrativa humana de Bruce e mostram-se peças decisivas na evolução e forja do estilo inconfundível do Boss.

CARLOS EDUARDO LIMA