Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Kris Wu, ex-integrante do grupo K-Pop EXO, é condenado à 13 anos de prisão por crimes sexuais

Kris Wu, que foi condenado no tribunal chinês, será deportado após o cumprimento de sua sentença

Redação Publicado em 25/11/2022, às 13h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Kris Wu (Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images)
Kris Wu (Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images)

Kris Wu, ex-integrante do grupo de K-Pop EXO, foi condenado a 13 anos de prisão por crimes sexuais por um tribunal chinês, sendo 11 anos e 6 meses de prisão por estupro, e 1 ano e 10 meses por tentativa de adultério.

No último ano, o cantor sino-canadense, que retornou à China em 2014 para seguir carreira solo, foi preso por suspeita de estupro, segundo informações do South China Morning Post.

Em um comunicado, o Tribunal Popular do Distrito de Chaoyang informou que a investigação mostrou que, de novembro a dezembro de 2020, o artista de 32 anos, também conhecido como Wu Yifan, estuprou três mulheres. O cantor será deportado após o cumprimento de sua sentença.

+++ LEIA MAIS: BLACKPINK e Måneskin? Banda sonha com parceria

Antes de sua prisão, as autoridades afirmaram que Wu foi detido “em resposta a informações relevantes relatadas na internet”, que incluíam alegações de que Wu havia “enganado repetidamente mulheres jovens para terem relações sexuais”. Dias depois que ele foi detido, outra mulher de Los Angeles acusou Wu de estuprá-la quando adolescente.

Wu teria sido julgado no Tribunal Popular do Distrito de Chaoyang, que também o considerou culpado do crime de reunir pessoas para se envolver em promiscuidade sexual em julho de 2018.

+++ LEIA MAIS: Chuu é expulsa do grupo de k-pop Loona por 'linguagem ofensiva e mau uso de poder'

Em novembro passado, foi revelado pela Associação Chinesa de Artes Cênicas que Wu estava entre as 88 celebridades que estavam na lista negra do país por “comportamento ilegal e antiético”. De acordo com um comunicado oficial publicado pela associação, a lista negra foi criada para “fortalecer a autodisciplina da indústria”.