Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

O maior trauma de Miley Cyrus com relação à era “Bangerz”, segundo a própria

Cantora até hoje carrega marcas desta controversa fase de sua carreira, ocorrida nos primeiros anos da década de 2010

Por Igor Miranda (@igormirandasite) Publicado em 26/06/2023, às 18h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Miley Cyrus (foto: Getty images)
Miley Cyrus (foto: Getty images)

Lançado em setembro de 2013, Bangerz foi muito mais do que o quarto álbum de estúdio de Miley Cyrus. Para a artista, representou uma tentativa de se libertar de vários padrões impostos a ela desde o início de sua carreira, algo que se confunde com a personagem Hannah Montana, da série homônima.

Neste disco, a cantora absorve influências do hip hop e R&B. Mas foi na estética que a coisa realmente mudou: Miley adotou um visual mais provocante e rompeu com a estética de “boa menina” que marcou a etapa anterior de sua carreira. Sua nudez no clipe de “Wrecking Ball” e a performance controversa na edição 2013 do MTV Video Music Awards (VMA) eram sinais de que ela tentava estabelecer outra imagem.

Uma década depois, Cyrus tem uma opinião bem formada a respeito deste período. Em entrevista à Vogue UK, a artista pop contou que a era Bangerz visava justamente se distanciar da reputação conquistada enquanto ídolo teen.

“Eu estava chamando atenção para mim, porque estava me separando de um personagem que eu havia interpretado. Qualquer um, quando se tem 20 ou 21 anos, quer se provar: ‘eu não sou meus pais, sou quem eu sou’.”

+++ LEIA MAIS: Grammy 2024: Taylor Swift, SZA, Miley Cyrus e Lana del Rey são cotadas para 'Álbum do Ano', diz site

Apesar disso, hoje com 30 anos, Miley entende que a pressão em torno dela nessa época foi bastante forte. E garante que nunca faria com outros jovens o que foi feito com ela, pois ficou traumatizada com tudo o que vivenciou nessa fase de sua vida e carreira.

“Carreguei um pouco de culpa e vergonha em torno de mim durante anos por causa do tamanho da controvérsia e da chateação que eu realmente causei. Agora que sou adulta, percebo o quão duramente fui julgada. Fui duramente julgada quando jovem por adultos e agora, como adulta, percebo que nunca julgaria duramente uma jovem.”

Miley Cyrus marcada pela era Bangerz

A era Bangerz, de fato, deixou marcas profundas em Miley Cyrus. Uma das consequências deste período é que, depois disso, a cantora não embarcou mais em longas turnês.

A Bangerz Tour, realizada ao longo de 2014, contou com 78 apresentações em um período de oito meses. Esse ritmo nunca mais se repetiu. Para se ter ideia: desde a última passagem pela América do Sul, com direito a apresentação no Lollapalooza Brasil, em março do ano passado, Cyrus subiu a um palco diante do público apenas duas vezes, uma delas no festival Corona Capital, no México, em novembro, e a outra no seu evento de Réveillon, obviamente no último dia de 2022.

Nesta mesma entrevista à Vogue UK, Cyrus revelou que não pretende fazer mais turnês. Ela chegou a brincar que a pausa de quase nove anos desde sua última longa tour parece, na verdade, como “um minuto”.

“Depois do último show [em grande arena em uma turnê] que fiz [em 2014], eu meio que olhei para isso mais como um questionamento. E eu não consigo. Não apenas ‘não consigo’ porque nesse caso falo de capacidade, mas é o meu desejo. Quero viver minha vida em prol do prazer ou realização de outra pessoa que não seja a minha?”