Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Música / trocadilho

Sabrina Carpenter fala sobre videoclipe em igreja: 'Jesus era carpinteiro'

Padre foi desligado do cargo após autorizar filmagens de videoclipe de Sabrina Carpenter em igreja

Redação Publicado em 30/11/2023, às 15h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Sabrina Carpenter em videoclipe de 'Feather' (Foto: Reprodução)
Sabrina Carpenter em videoclipe de 'Feather' (Foto: Reprodução)

Sabrina Carpenter foi motivo para que uma igreja em Nova York precisasse ser benzida novamente. A cantora gravou o clipe de “Feather” na Our Lady of Mt Carmel-Annunciation Church, no Brooklyn, usando um vestido curto de tule preto em cenário com itens associados ao catolicismo, o que não agradou os religiosos.

Recentemente, o padre que autorizou as filmagens, Jamie J. Gigantiello, foi desligado do cargo, embora tenha esclarecido que sua intenção era "fortalecer os laços entre os jovens artistas” e a comunidade católica.

A cantora justificou em entrevista à Variety: "Conseguimos aprovação antecipada". Ela ainda fez um trocadilho dizendo que "Jesus era carpinteiro" — o sobrenome Carpenter pode ser traduzido para o português como "carpinteiro".

A diocese afirmou que Gigantiello não seguiu a política correta em relação a gravações em propriedades da Igreja Católica, que inclui revisões de cenas, e se declarou “chocada” com as imagens feitas por Carpenter na paróquia.

+++ LEIA MAIS: Padre escutou “Umbrella”, single de Rihanna, em experiência de quase morte

Após o lançamento do videoclipe, a diocese convocou o bispo Robert J. Brennan para realizar uma missão de reparação com o intuito de “restaurar a santidade da igreja e reparar os danos”. Poucos dias depois, Gigantiello foi dispensado de seu cargo de supervisor administrativo.

Por meio do Facebook, o padre pediu perdão aos paroquianos. Ele contou que a equipe de Carpenter solicitou a gravação do clipe em setembro. Ao The New York Times, Gigantiello disse também que a edição final não lhe foi apresentada e que as últimas semanas foram difíceis para ele, para a paróquia e para a diocese. “Lamento profundamente pelo incidente ocorrido e por qualquer angústia que as minhas ações possam ter causado”, falou.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!