Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Slash detalha as melhores guitarras da carreira em novo livro; leia

Em 'The Collection: Slash', o guitarrista conta a história por trás dos instrumentos que usou ao longo de sua célebre carreira musical

Redação Publicado em 05/05/2023, às 13h10

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Slash no Lollapalooza Chicago 2019 (Foto: Amy Harris / Invision / AP)
Slash no Lollapalooza Chicago 2019 (Foto: Amy Harris / Invision / AP)

Um dos maiores guitarristas da história do rock, Slash conta a história por trás dos instrumentos que usou ao longo de sua célebre carreira musical, em inúmeros discos de sucesso e em palcos de todo o mundo na frente de multidões em seu novo livro The Collection: Slash (2023).

Na obra, o renomado músicotraz novos insights sobre as histórias por trás da música através entrevistas exclusivas com Mark Agnesi (Diretor de Experiência de Marca da Gibson). Escrito e editado pelo editor-chefe da Gibson, Chris Vinnicombe, The Collection: Slash é um item essencial tanto para os fãs de Slash, quanto para qualquer um que admire guitarras finas e raras.

+++ LEIA MAIS: Quando Slash foi entrevistado por Ximbinha no Altas Horas [FLASHBACK]

Com mais de 300 páginas, The Collection: Slash é ricamente ilustrado, com inúmeras fotos od guitarrista e sua impressionante coleção de guitarras, tiradas pela equipe Gibson, e pelo lendário fotógrafo de rock Ross Halfin, cujo relacionamento com Slash remonta a uma sessão de retratos do Guns N’ Rosesde 1986.

Lançado em três modelos, a Custom Edition de The Collection: Slash é assinada à mão por Slash e limitada a 500 cópias em todo o mundo. Além da obra, o kit contém uma guitarra Axe Heaven® Appetite Les Paul miniatura, uma bandana, uma lata de palhetas Dunlop® de guitarra, um pôster de capa, quatro impressões de arte de guitarra e um certificado de autenticidade.

+++ LEIA MAIS: Slash lança produtora de filmes de terror: 'Qualidade acima de quantidade'

Já a Deluxe Edition é apresentada em um estojo Les Paul, e inclui um pôster da capa, quatro impressões de arte de guitarra e um certificado de autenticidade. A tiragem inicial da Deluxe Edition é assinada à mão por Slash e limitada a 1.000 cópias.

“Tenho que admitir que compro muitas guitarras”, diz Slash. “E eu sou um pouco chato, porque nunca me livrei de nada. E enquanto você está constantemente colocando mais e mais coisas ao estoque, percebi que, embora eu toque muitas dessas guitarras regularmente, algumas delas não são usadas o suficiente. E então pensei: 'Deus, eu quero colocá-los todos em uma sala onde todos possam entrar e olhar para eles!' Agora, de certa forma, eles podem.”

+++ LEIA MAIS: Slash, do Guns N' Roses, revela os heróis dele na guitarra

Leia abaixo trechos exclusivos do livro The Collection: Slash, onde o guitarrista relembra quando cada instrumento entrou em sua vida e como continua fazendo parte de sua experiência musical até hoje:


KRIS DERRIG REPLICA

Uma das Les Pauls mais famosas não é uma Les Paul. Apresentada em quase todo o Appetite for Destruction (1987), a réplica de Kris Derrig é a fonte dos cobiçados tons de guitarra do álbum e, sem dúvida, reacendeu a chama da marca Les Paul nos anos 1980. 

“Conseguir o Derrig foi uma espécie interessante de tempestade perfeita, porque eu deixei de ter nenhum som identificável durante as faixas básicas de Appetite para conseguir essa guitarra, com esses captadores específicos, tocada por meio de um amplificador Marshall alugado específico.(abre em nova aba). Todos esses fatores contribuíram para um ótimo som de guitarra que me serviu desde então.”

GIBSON LES PAUL “JESSICA”

Slash adquiriu a guitarra da Gibson - uma das duas segundas de fábrica - com tampos de três peças que a empresa lhe enviou depois que ele aposentou a cópia Derrig do trabalho na estrada.

“Tornou-se minha guitarra no palco principal com o Guns e através do Velvet Revolver”, diz ele. “Ainda é. Jessica é a guitarra principal do Appetite For Destruction (1987). Abro o set com ela para 'It's So Easy' e 'Brownstone', toco 'Paradise City' com ela e toco 'Welcome to the Jungle' com ela. As guitarras que você leva em turnê e mais toca são aquelas com as quais você se sente mais confortável, aquelas que te dão o que você quer delas, aquelas que são consistentes. Naquela época, era uma das duas guitarras que eu tinha para a estrada, então fiz funcionar. E agora é uma parte central do que eu faço.”

GIBSON LES PAUL “THE FIRST ‘BURST” – 8 3096

“Foi definitivamente uma aquisição por causa do que é. Mas também é uma guitarra com um som realmente ótimo. E esse foi o maior ponto de venda para mim – tem um tom incrível. Eu não a levo para a estrada. Gibson me fez uma réplica, que soa muito bem também.”

1959 LES PAUL STANDARD – 9 0844

Adquirido no início dos anos 1990, foi o primeiro '59 'Bursts' da Gibson de Slash e o instrumento segue com um de seus favoritos até os dias atuais. Além de ostentar um acabamento deslumbrante, a guitarra é facilmente identificável por meio de uma “mordida de cobra” reveladora.

“Tem um som particular que me atrai, um certo tipo de ataque e personalidade que reconheço. [...] É a escolha certa para mim porque sei o que ela faz. Os captadores do PAF soam tão sincero. A guitarra é muito diferente, digamos, da Derrig, que tem um som muito mais moderno da Les Paul – é mais alta, tem mais ataque. Se você gosta de um blues lento ou algo assim, a tonalidade neste '59 em particular é realmente ótima para esse tipo de coisa."

INÍCIO DOS ANOS 1970 EPIPHONE 6830

Este acústico de cordas de aço feito no Japão não é o violão mais antigo da coleção de Slash, mas é o que ele tem há mais tempo. Hoje em dia, o Epiphone está muito longe das sessões noturnas de dedilhar.

“Acho que provavelmente estava no ensino médio quando consegui. E eu aprecio o fato de que consegui mantê-lo e nada aconteceu com ele. Quando eu tinha 15 anos, eu trabalhava como babá, e esse garoto de quem cuidei, seus pais o penduraram na parede ao lado de um bandolim. Eu perguntei a eles: 'Posso jogar enquanto a criança está dormindo?' Eu ainda estava jogando quando eles chegaram em casa, e eles acabaram me dando. Faz muito tempo que não o pego e toco, porque o arremate está ameaçando cair e eu tive que prendê-lo. Então eu meio que deixo isso em paz. É mais uma lembrança do que qualquer coisa."

1959 GIBSON FLYING V – 9 1705

“Quando eu estava fazendo os discos I e II do Use Your Illusion (1998), eu estava procurando guitarras diferentes para músicas diferentes, e foi a primeira vez que tive dinheiro para fazer isso. Tomei conhecimento da korina dos anos 58 e 59, e procurei meu amigo que é corretor de guitarras. Ele veio com dois Explorers e este V, e eu comprei os três. Foi uma daquelas compras em que eu pensei, 'Bem, vamos ver como isso soa.' E foi, 'Oh, isso é foda pra caralho!'”

1980 aC RICO MOCKINGBIRD

"Esta é a única guitarra que tenho memória fotográfica de ter adquirido. Comprei de um cara na frente da [extinta boate de LA ] Cathouse. Eu mal o conhecia, mas o via regularmente todas as terças-feiras à noite, quando ia lá. Ele me disse que tinha um Mockingbird que queria vender e disse: 'Vou trazê-lo para baixo'. E na terça seguinte, tipo, às 23h30, ele vem andando pela Highland Avenue com um estojo de violão. Comprei dele na calçada."