Adeus, a-ha

Grupo norueguês se despediu de São Paulo diante de público devoto e com show de hits nesta quarta, 10

Por Paulo Cavalcanti Publicado em 11/03/2010, às 16h51

Morten Harket comoveu público no último show da carreira do a-ha em São Paulo

Ver Galeria
(4 imagens)

Atualizada às 15h40

Não é novidade que o a-ha, trio de synthpop formado por Morten Harket, Magne Furuholmen e Paul Waaktaar-Savoy, vai encerrar as atividades no final desse ano. O show derradeiro deve acontecer em dezembro em Oslo, Noruega, onde o grupo foi formado. Eles já declararam que o fim é amigável e, portanto, se dispuseram a rodar o mundo com uma turnê de despedida. O público brasileiro, que sempre teve um carinho enorme pelos músicos, já está se preparando para dar adeus à banda - e nesta quarta, 10, foi a vez dos paulistanos assistirem pela última vez ao show de seus ídolos, no Credicard Hall, depois de um show em Bauru na terça, 9.

Esta é a quinta vez que o a-ha toca no Brasil. Eles já passaram por aqui em 1989, 1991, 2002 e 2009. A casa de shows em São Paulo estava lotada e vários fãs levaram faixas e balões para homenageá-los. Depois de um pequeno atraso, os músicos se materializaram ao som de "The Bandstand", do CD Foot of the Mountain, lançado no ano passado. Depois, veio a faixa-título deste mesmo disco. Foram momentos de intensa gritaria, especialmente quando Morten Harket, o cantor e galã da banda, se posicionou no centro do palco e assumiu o comando do microfone. Morten, trajando uma camisa azul aberta e de óculos escuros (que ele logo tirou), parece não envelhecer. Magne, o tecladista, foi quem mais agitou, pedindo para todo mundo bater palmas e cantar junto, enquanto o guitarrista Paul permaneceu quieto e concentrado o tempo inteiro.

O grupo então executou "Analogue", "Forever Not Yours", "Summer Moved On", "Minor Earth" e "Move to Memphis". Esse bloco, com canções relativamente mais recentes e sem nenhum mega-hit, foi recebido com polidez. Mas, quando eles executaram "Stay On These Roads", canção que dá nome ao álbum lançado em 1988, a coisa começou a esquentar. "The Blood that Moves the Body" e "Living Daylights" (tema do filme 007 - Marcado para a Morte) foram cantadas com entusiasmo pelas cinco mil pessoas presentes. Depois, veio um breve segmento acústico com as baladas "Early Morning" e "Crying in the Rain". O bloco seguinte foi arrasador, levando o público aos velhos e bons tempos do a-ha nos anos 80 e começo dos 90, com os hits "Scoundrel Days", "Swing of Things", "Manhattan Skyline", "Looking for Whales", "I've Been Losing You" e "Cry Wolf".

Logo depois, os três saíram do palco por alguns minutos e voltaram para o bis, constituído pelas canções que se tornaram as marcas registradas do a-ha. "Train of Thought" (com Morten segurando a bandeira do Brasil), "The Sun Always Shine on TV", "Hunting High and Low" e "Take on Me" previsivelmente causaram uma enorme comoção. No final, quando o grupo se preparava para sair do palco, houve muita emoção, já que parece que vai ser difícil ver Morten, Magne e Paul juntos novamente. Mas a tour segue pelo resto do Brasil. O a-ha ainda vai se apresentar no Rio de Janeiro (sábado, 13, no Citibank Hall); em Belo Horizonte (domingo, 14, no Chevrolet Hall); em Brasília (terça, 16, no Ginásio Nilson Nelson - antes, o local agendado era o Centro de Convenções Ulysses Guimarães); no Recife (quinta, 18, no Chevrolet Hall) e finalmente em Fortaleza (sábado, 20, no Siara Hall).