Aumento de impostos é descartado e Coachella deve permanecer em Indio

Conselheiro que havia proposto novas taxas ao festival desistiu da medida após ameaças de que o evento se mudaria para outro lugar

Rolling Stone EUA Publicado em 06/07/2012, às 13h10 - Atualizado às 13h11

Cee Lo Green no Coachella
AP

O membro do conselho municipal de Indio que propôs a implementação de um impostos para os ingressos do Coachella desistiu da decisão, segundo a NBC, após ameaças de que o evento se mudaria para outro lugar. Sam Torres havia sugerido cobrar uma taxa de admissão de 5 a 10% sobre o valor dos ingressos em eventos com mais de 2500 pessoas. Paul Tollet, presidente da Goldenvoice, produtora do Coachella, ameaçou cancelar a edição de 2014 e mudar o local a partir de 2015.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Tollett alega que a medida custaria à Goldenvoice entre US$4 e US$6 milhões, com o festival tendo lucrado cerca de US$ 47 milhões este ano. Um comunicado oficial da cidade disse que a empresa é “um grande empregador regional”, que trouxe “milhões de dólares em apoio à comunidade local”. O prefeito de Indio, Glenn Miller, que inicialmente se opôs à proposta de Torres, afirmou que quer manter Coachella em Indio. O evento acontece lá desde 1999 e atraiu mais de 158 mil pessoas neste ano.