Pulse

Autópsia do corpo de Prince revela taxa extremamente elevada de fentanila, analgésico 50 vezes mais forte que heroína

A concentração encontrada no corpo do músico era de 67,8 microgramas por litro de sangue

Redação Publicado em 27/03/2018, às 13h52 - Atualizado às 14h33

Em fevereiro de 2007, Prince fez uma apresentação embasbacante no intervalo do Super Bowl

Ver Galeria
(2 imagens)

Faltando menos de um mês para o mundo da música completar dois anos sem Prince, a agência Associated Press divulgou, nesta terça, 27, informações obtidas sobre a autópsia do corpo do músico, obtidas através de um relatório toxicológico confidencial. As autoridades já haviam revelado a causa da morte: overdose acidental de fentanila, mas sem mais detalhes.

Segundo a AP, os exames revelaram que o astro do pop tinha uma taxa de 67,8 microgramas de fentanila por litro de sangue, e laudos médicos já registraram mortes a partir de 3 microgramas por litro. O analgésico é considerado 50 vezes mais forte que a heroína e, segundo o médico Lewis Nelson, o índice encontrado no corpo do cantor era “extremamente alto, até mesmo para pacientes com dores crônicas tratados com fentanila”.

Prince foi encontrado morto aos 57 anos, em Paisley Park, subúrbio de Minneapolis, na casa onde morava, em 21 de abril de 2016.