Autoridades do Malawi contestam planos de Madonna no país

Ministro da Educação diz que a cantora não pediu permissão para construir dez novas escolas no local e a acusa de querer promover sua imagem

Rolling Stone EUA Publicado em 14/03/2012, às 11h22 - Atualizado às 11h33

Madonna
AP

O governo do Malawi acusou Madonna de não consultar as autoridades sobre o plano de construir dez novas escolas na nação africana. Lindiwe Chide, porta-voz do Ministro da Educação do país, disse à agência de notícias Reuters que o governo está “farto” da cantora pop, reclamando que Madonna não os informou quando desistiu de construir uma escola para garotas por conta de acusações de fraudes na administração da Raising Malawi, a ONG fundada por ela. “E agora ela decide que vai construir dez escolas, novamente sem pedir nossa permissão”, afirmou Chide, se referindo ao projeto da cantora em parceria com a organização sem fins lucrativos buildOn. “Agora sentimos que tudo isso é para apoiar a imagem global dela e não para o nosso interesse.”

“Ela não pode decidir onde quer construir uma escola, porque ela não conhece nossas necessidades e onde nós queremos novas escolas”, continuou Chide. “Ela precisava nos consultar primeiro, ter a nossa permissão antes de fazer qualquer coisa.”

Trevor Neilson, dirigente da organização Global Philanthropy Group, revidou as declarações do governo em um comunicado divulgado pelos representantes de Madonna. “Isso simplesmente não é verdade”, ele escreveu. “O governo do Malawi tem sido completamente informado sobre o empenho de Madonna em fornecer fundos para a construção de dez escolas em comunidades onde não há escolas.” De acordo com Neilson, a Raising Malawi tem se comunicado com o Ministério da Educação e a buildOn debateu o projeto com oficiais locais, e “esclareceu todos os planos com eles”.