Beck entrevista Will Ferrell

Depois de conversar com Tom Waits, músico divulga bate-papo com comediante; assunto passou por Cirque du Soleil e comerciais dos anos 70

Da redação Publicado em 12/08/2009, às 12h02

O ator e comediante Will Ferrell virou o segundo "tópico irrelevante" de Beck. Explica-se: em seu recém-recauchutado site oficial, o músico postou uma entrevista sua com Tom Waits para inaugurar a seçãoIrrelevant Topics ("tópicos irrelevantes"). Agora, Ferrell é o entrevistado da vez.

Humorista e músico se encontraram pela primeira vez em 1997, quando Ferrell entrava em seu terceiro ano de Saturday Night Live, programa cômico exibido, por aqui, pelo canal pago Sony Entertainment Television. Beck, no caso, era o convidado musical. "De alguma forma, durante os ensaios, fui convocado para participar de uma esquete com ele", escreveu, na introdução ao bate-papo. "Ao longo dos anos, pude observar ele trabalhando várias vezes como membro [do SNL, compromisso do ator até 2002]. Inegavelmente, um gênio da comédia."

Em janeiro de 2005, os dois voltaram a se apresentar juntos, num evento beneficente para as vítimas do tsunami que atingiu parte da costa asiática, em especial a Indonésia, no dia 26 de dezembro do ano anterior. Armado no Wiltern Theatre, em Los Angeles, o show contou, ainda, com Dave Grohl e Josh Homme, que mais tarde se uniriam no Them Crooked Vultures.

O telefonema que resultou na entrevista (Beck não especifica data) rendeu: "Nós pudemos recuperar o tempo perdido e falar sobre collant, Cirque du Soleil e comerciais de TV dos anos 70".

Tudo avança em tom informal - apenas dois amigos trocando uma ideia. No meio da conversa, Ferrell revela já ter tentado descolar uma vaga na companhia circense. Aconteceu nos "dias pós-faculdade" e a trupe do Cirque estava com vagas abertas "para palhaços e mímicos". "Não tinha experiência em nenhum deles, mas pensei, 'vamos apenas chegar lá e ver o que rola'", disse. Fez o teste e nunca recebeu "ligação para voltar".

Os dois falam, ainda, sobre o mágico Doug Henning (bastante popular na década de 70, nos Estados Unidos) e o método de Beck para gravar a entrevista ("você usa um antigo gravador de cassete, não é?", Ferrell aponta). A segunda parte da entrevista deverá sair em breve.

Outro projeto tocado pelo músico californiano no site é o Record Club. A proposta é gravar, ao longo de 24 horas, o cover de um álbum clássico, em parceria com camaradas da cena musical (o último foi Oar, de Skip Spence, com colaboração do Wilco).