Biógrafo de Courtney Love processa cantora por violação de contrato; entenda o caso

“Escritor fantasma” diz que entregou manuscrito de Girl With the Most Cake em janeiro de 2014

Rolling Stone EUA Publicado em 29/04/2015, às 17h45 - Atualizado às 18h38

-

Ver Galeria
(4 imagens)

O escritor “fantasma” de Courtney Love, Anthony Bozza, processou a cantora por violação de contrato em relação à autobiografia dela a ser lançada, intitulada The Girl With the Most Cake.

Galeria: dez roqueiros que deixaram sua marca na moda inspirando coleções de estilistas.

O autor – que já foi editor da Rolling Stone EUA e serviu como escritor para livros de Slash, Tommy Lee e Tracy Morgan, entre outros – pode ganhar US$ 200 mil pelos danos com a ação judicial, que um tribunal de Nova York recebeu na semana passada.

Bozza declara que ele firmou o contrato com a vocalista do Hole em 2010 e entregou um manuscrito do livro com mais de 123 mil palavras à Courtney e à editora HaperCollins em janeiro de 2014.

Nirvana: os bastidores e detalhes da reunião.

O processo afirma que tanto Courtney quanto a HaperCollins disseram que estavam satisfeitas com o manuscrito em ocasiões diferentes. Bozza disse que Courtney enviou um e-mail para ele em junho de 2012 dizendo que uma introdução e o rascunho de dois capítulos estavam “bonitos para caralho” e a deixaram “emocionada”.

Um assessor da HarperCollins supostamente chegou a dizer que o manuscrito era “brilhante” em uma teleconferência com um agente de Bozza em maio de 2014.

Galeria: Vinte “Rockumentários” – documentários sobre rock.

Bozza ainda afirma que Courtney enviou uma mensagem de texto para ele em abril de 2014, dizendo que ela estava “tentando consertar o livro” com outro escritor, mas que o tal novo coautor era “irrelevante” e o livro estava “um caos ainda maior”.

No processo, Bozza afirma que disse à Courtney que ele não estava ofendido pela decisão dela, mas pediu para ela lhe pagar (o contrato o autorizaria a receber um pagamento proporcional à quantidade de trabalho dele que fosse publicado). Ele não recebeu resposta.

Os 20 anos da morte de Kurt Cobain.

No mesmo mês, ela disse ao The Telegraph que rejeitou o livro. “Eu disse: ‘Pegue a merda do seu dinheiro’”, afirmou ela ao jornal. “Prefiro manter meus amigos.”

Um representante de Courtney Love não respondeu as investidas da Rolling Stone EUA para um comentário sobre o processo.

O acordo ainda estipulava que Courtney deveria “estar disponível para [Bozza] para entrevistas... em horários mutuamente acordados”. O processo afirma que Courtney não se fez disponível para Bozza “por meses”, resultando em “atrasos substanciais.”

Kurt Cobain - Montage of Heck: saiba tudo sobre o documentário

Na ação judicial, Bozza também declara que seu acordo de colaboração com Courtney garantia a ele no mínimo US$ 200 mil do que ela receberia, bem como as despesas dele, independente de o livro sair ou não.

O escritor diz que ele gastou cerca de US$ 10 mil para transcrever as entrevistas dele com Courtney, uma despesa pela qual, segundo ele, ela não o reembolsou. Além disso, ele receberia até US$ 300 mil de direitos.

20 anos atrás, um Kurt Cobain rouco e introspectivo comandava o último show do Nirvana.

Até então, Courtney pagou Bozza apenas US$ 100 mil, de acordo com ele, apesar de já ter recebido US$ 400 mil – de um total de US$ 1,2 milhão – adiantados pela publicação do livro.

Em outubro de 2013, uma fonte da HarperCollins disse à Rolling Stone EUA que Courtney Love lançaria o livro no começo de 2014. Mas em agosto do ano passado, a cantora disse que o livro havia se transformado em um “desastre” e que ela estava se sentido desconfortável com os detalhes pessoais que ocorrem de 2006 até hoje, os quais ela revelou no livro.