Bob Dylan é processado por comunidade croata por racismo

Em entrevista em 2012, o músico teria feito uma conexão entre croatas e nazistas, de acordo com o Conselho de Croatas na França

Redação Publicado em 02/12/2013, às 16h35 - Atualizado às 16h43

Shows 2012 - Bob Dylan
AP

Bob Dylan é alvo de um processo no qual ele é acusado de ter sido racista contra a comunidade croata durante uma entrevista à Rolling Stone EUA, para Mikal Gilmore, concedida em 2012. Os representantes do Conselho de Croatas na França (cuja sigla, em inglês, é CRICCF) entraram com o processo porque, segundo eles, o músico fez uma conexão entre croatas e nazistas. As informações são do jornal britânico The Guardian.

Entrevista RS Bob Dylan: 15 anos se passaram desde o álbum Time Out of Mind, de 1997, e Dylan, aos 71 anos, vivia o período de maior criatividade contínua de sua vida.

A corte francesa aceitou ouvir o caso e ainda convocou Dylan para participar da sessão, explicou Vlatko Maric, o secretário geral do Conselho ao jornal. O CRICCF pede uma retratação do músico por entender que os comentários dele “incitam o ódio”.

Na entrevista à Rolling Stone EUA, Dylan fala sobre o preconceito no território norte-americano. “Os negros sabem que alguns brancos não queriam abandonar a escravidão – se dependesse deles, os negros ainda estariam sob jugo”, disse o músico. O pior, para a CRICCF, veio a seguir. “Se você tem, nas veias, o sangue de um mestre de escravos ou de um integrante do Klu Klux Klan, os negros podem sentir isso. Essas coisas permanecem até hoje. Assim como os judeus conseguem perceber o sangue nazista e os sérvios conseguem sentir o sangue croata”.

Saiba como foi feito o brilhante vídeo de “Like a Rolling Stone”, de Bob Dylan.

Logo depois disso, estações de rádio croatas, ainda de acordo com o Guardian, pararam de executar as canções de Dylan. “Nós não temos nada contra a revista Rolling Stone ou contra Dylan como um cantor”, continuou Maric. “[Mas] não se pode comparar os criminosos de [guerra] da Croácia com todos os outros nascidos lá.”