Canseira e histeria

Mais de uma hora de atraso não foi o suficiente para abalar as fãs do cantor de "You're Beautiful"

Por Paulo Cavalcanti Publicado em 30/01/2009, às 15h27

Se depender da recepção que teve em sua primeira passagem pelo Brasil, James Blunt vai bater cartão em nossa plagas. O cantor e compositor inglês nem fazia idéia de que estava causando tanta comoção. À tarde, por volta das 17h, quando falou à Rolling Stone Brasil, Blunt ficou surpreso ao saber que já havia uma fila que dobrava o quarteirão da Via Funchal. Na hora do show, a casa ficou mesmo abarrotada, e o público, em sua maior parte constituído por mulheres, levou canseira de mais de uma hora.

A produção falou que o atraso aconteceu por causa de um problema na mesa de som. Às 22h45, havia muita gente inquieta e vaiando os pobres roadies que tiveram de passar o som novamente. Mas quando Blunt finalmente pisou o palco, foi tudo esquecido. Com sua cara de cachorrinho abandonado carente e sempre de olhos arregalados, o cantor atiçou certos instintos femininos.

Na noite desta quinta, o show era só dele. Mas o repertório foi praticamente o mesmo da apresentação de abertura do show de Elton John, há algumas semanas, na Skol Arena. Na primeira parte da apresentação, Blunt tocou e cantou "Breathe", "Billy", "High", "Carry You Home", "Il'l Take Everything" e "Goodbye, my Lover".

"Não gosto de ser categorizado como apenas cantor de baladas", disse James à tarde, na entrevista. Assim, ele mostrou sua veia mais roqueira com um cover para "Coz I Luv You", do grupo Slade, heróis do glitter dos anos 70.

Na seqüência veio o megahit "You're Beautiful", que foi cantado a plenos pulmões. Depois de "Wise Men" e "So Long, Jimmy", Blunt deixou o palco e retornou para o bis com o hit "Same Mistake", também muito festejado, já que fazia parte da trilha da novela A Favorita.

E tudo acabou com "1973", que não deixa dúvidas de que Blunt adora mesmo é uma balada como se fazia uns 35 anos atrás.