Caso Richthofen: Como envolvidos no crime estão 19 anos depois?

Os filmes A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais reacenderam o caso Richthofen, crime brutal que abalou o país

Redação Publicado em 27/09/2021, às 16h29 - Atualizado em 02/10/2021, às 13h30

None
Suzane von Richthofen (Foto: Divulgação)

Com o lançamento dos filmes A Menina Que Matou os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais, do diretor Mauricio Eça, o caso von Richthofen voltou à ser revisitado e muito falado na mídia, mesmo 19 anos depois do ocorrido. Mas, o que aconteceu com os envolvidos desse crime brutal que chocou o país? 

 
 
 
 
 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Amazon Prime Video Brasil (@primevideobr)

 

Recapitulando: em 31 de outubro de 2002, os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos assassinaram a pauladas o engenheiro Manfred e a psiquiatra Marísia, a mando da filha do casal, Suzane von Richthofen, em São Paulo. O caso foi tido, inicialmente, como latrocínio. No entanto, quase dez dias depois, em 8 de novembro, os três confessaram o crime. 

+++ LEIA MAIS: A Menina Que Matou Os Pais: 4 curiosidades do filme sobre caso de Suzane von Richthofen

Suzane von Richthofen, que nos filmes é interpretada pela atriz Carla Diaz, foi condenada em 2006 por 39 anos e 6 meses de prisão. Em 2015, ganhou o benefício de regime semiaberto podendo sair do presídio no Tremembé, em São Paulo, no Dia das Mães e Dia dos Pais.

Recentemente, a condenada de atualmente 37 anos recebeu autorização da Justiça para cursar faculdade de Farmácia, em Taubaté, São Paulo. Suzane poderá sair do presídio às 17h e voltar às 23h55 para estudar na faculdade. 

+++ LEIA MAIS: Caso Richthofen: Filmes com Carla Diaz estreiam com críticas às tramas separadas e depoimentos 'frágeis'; confira

Daniel Cravinhos também pegou 39 anos e 6 meses de prisão, a mesma pensa de Suzane, sua namorada na época do crime. O rapaz ganhou regime semiaberto em 2013, e aberto em 2018, tendo o direito de cumprir o restante da pena em liberdade. Em 2014, casou com a biomédica Alyne Bento, filha de uma agente penitenciária. 

Cristian Cravinhos recebeu a pena de 38 anos e 6 meses de prisão. Ele estava em regime aberto desde 2017, mas em 2018 se envolveu em uma briga em Sorocaba e teve uma munição de uso irrestrito encontrada pelos policiais. Ao oferecer dinheiro às autoridades para não perder o benefício de regime semiaberto, foi sentenciado por corrupção e voltou à prisão. Sua condenação aumentou para 41 anos e 10 meses. 

+++LEIA MAIS: Caso Richthofen: Como Carla Diaz lidou com interpretar Suzane em A Menina que Matou os Pais?

Em 2020, a série Investigação Criminal (Netflix/SBT/Amazon Prime) usou 12 fotos de Cristian Cravinhos em um episódio. O condenado pediu R$ 500 mil pela exibição, mas a Justiça negou o pedido. 

De acordo com o UOL, Suzane von Richthofen tentou impedir na Justiça o lançamento dos filmes A Menina Que Matou Os Pais e O Menino Que Matou Meus Pais, mas o pedido foi negado. As informações são do UOL

+++ LEIA MAIS: A Menina que Matou os Pais: o que é real (e o que é ficção) em filme sobre caso de Suzane von Richthofen