Cinturão Vermelho é ode ao bom mocismo

Filme de David Mamet sobre jiu-jitsu, com Rodrigo Santoro e Alice Braga, estréia nesta sexta, 20

Por Bruna Veloso Publicado em 19/06/2008, às 19h16 - Atualizado em 23/06/2008, às 08h25

Mike Terry (Ejiofor) prima pela ética jiujiteira, enquanto Sondra (Alice Braga) cuida das finanças
Divulgação

Cinturão Vermelho é uma declaração de amor do diretor David Mamet ao jiu-jitsu brasileiro. Mamet, que também é responsável pelo roteiro, quer enaltecer a ética e os princípios propostos aos praticantes da luta - e neste caminho o filme se torna uma ode ao bom mocismo e ao caráter do personagem principal, Mike Terry, interpretado por Chiwetel Ejiofor.

VEJA O QUE SANTORO E ALICE DISSERAM SOBRE O FILME

Terry é dono de uma academia de jiu-jitsu. Casado com Sondra, personagem da brasileira Alice Braga, o lutador é apaixonado pelo esporte e segue à risca alguns dos ideais de um samurai - paciência, concentração e honestidade. Sua academia está à beira da falência, as contas se acumulam e Terry, mesmo sendo um campeão, resiste à idéia de subir num ringue em busca de dinheiro.

No entanto, uma advogada descontrolada invade a academia, protagonizando um acidente com um dos alunos do local - e este é o ponto de partida para uma série de eventos que vai complicar ainda mais a vida de Terry, que finalmente decide subir ao ringue. Neste cenário, a cartilha de princípios do jiujiteiro ganha uma proporção incômoda para o espectador.

As cenas de luta são o mérito do filme, apesar do foco de Mamet na defesa de que o jiu-jitsu não é um esporte de brutamontes ou, no contexto brasileiro, pit-boys interessados só em músculos e brigas de bar. A arte marcial é apresentada como mescla de ensinamentos morais e domínio da mente e do corpo.

Santoro estrela só o cartaz

Quem for ao cinema esperando pelo papel de Rodrigo Santoro, vai perder tempo - a maior participação dele no filme é o tamanho de sua figura no cartaz feito especialmente para divulgação do longa no Brasil. Santoro vive Bruno, irmão de Sondra, um empresário do ramo da lutas. Aparece pouco, mas interpreta o papel com convicção - o jeito canastrão e o figurino (camisa com colarinho aberto, anel no mindinho e relógio dourado) são uma mistura de cafetão com bicheiro high society. Alice Braga se apresenta como uma mulher que tem de aturar as dificuldades financeiras e o jeito mosca-morta do marido.

Pequenos diálogos e palavras soltas em português permeiam o filme do começo ao fim. Mamet começou a praticar jiu-jitsu há cinco anos com o brasileiro Renato Magno, que o levou a conhecer membros de duas famílias tradicionais no esporte - os Machado e os Gracie. Os papéis de Santoro e Alice não foram escritos especialmente para brasileiros - mas com a escolha do elenco, Mamet resolveu formar um núcleo tupiniquim, que conta também com a presença do lutador John Machado, campeão nacional e mundial na modalidade entre os anos de 1983 e 1990.