Na onda dos feat: colaborações estratégicas alavancam carreiras dos músicos, diz estudo

Análises explicam porque juntar o Maroon 5 e a Cardi B deu certo

Rolling Stone EUA Publicado em 05/02/2019, às 17h10

None
Adam Levine e Cardi B em cena do clipe Girls Like You (Foto: Reprodução)

Quando o Maroon 5 e a Cardi B se juntaram para o hit “Girls Like You” (cujo vídeo está no final desse texto), em 2017, a colaboração foi muito questionada, mas também trouxe uma quantidade razoável de interesse do público, o que ajudou a abrir o caminho da música até o topo das paradas.

De acordo com um estudo publicado recentemente intitulado O fenômeno "featuring" na música, esses tipos de colaborações não são apenas cada vez mais abundantes, mas cada vez mais bem-sucedidas.

O estudo descobriu que as músicas com artistas “em destaque” cresceram exponencialmente na lista da Billboard Hot 100, nas últimas duas décadas, e que músicas com créditos adicionais – em especial aquelas que misturam artistas de gêneros diferentes – são mais prováveis de chegar entre os 10 primeiros das listas do que canções com um músico.

Então, quanto maior o grau de diferença cultural entre os artistas, mais sucesso a música pode ter e mais alto ela pode chegar.

Os autores do estudo sugerem que o sucesso advém da habilidade de cada artista se adaptar a diferentes estilos musicais em uma colaboração.

É preciso combinar “a expertise de especialistas em diferentes gêneros”, bem como misturar o público de cada um e escolher os músicos que mais complementam cada um dos gêneros.

Em resumo: as colaborações nunca são tão aleatórias quanto elas parecem ser.  

"Sempre achei que as colaborações representassem um caminho para o sucesso, o que foi de fato, mas fiquei surpreso com a rapidez com que esse fenômeno se espalhou para fora do hip-hop, onde ele se originou”, contou à Rolling Stone EUAAndrea Ordanini, professora de Marketing na Universidade de Bocconi, em Milão, e principal autor do estudo.

Andrea e o coautor Joseph Nunes, um professor de administração de empresas na USC, planejam continuar as pesquisas sobre como artistas de diferentes gêneros se unem para aumentar a popularidade de uma música e ambos também estão procurando estudar as tendências da indústria musical entendendo o papel da autoria no sucesso do gráfico.

A pesquisa também pode se expandir para campos adjacentes. “Embora não tenhamos evidências em contextos fora da música, se nossa explicação estiver correta, poderemos ver mais valorização por parte de fãs de colaborações de diferentes gêneros em outras indústrias culturais, como em filmes ou em qualquer outra área do entretenimento”, finalizou a professora.