Robert Zemeckis fala sobre remake de De Volta Para o Futuro: “Só se eu estiver morto”

“Isso é um ultraje”, opina o diretor a respeito de um possível novo filme da franquia

Redação Publicado em 30/06/2015, às 11h19 - Atualizado às 13h29

Cena do filme De Volta Para o Futuro (1985)
Reprodução

"Só por cima do meu cadáver", foi basicamente isso que respondeu o diretor de De Volta Para o Futuro, Robert Zemeckis, sobre uma possível sequência do sucesso da década de 1980, prestes a completar 30 anos de lançamento.

Dez viagens no tempo: de Harry Potter a De Volta para o Futuro.

Donos dos direitos do filme, ele e Bob Gale, com quem escreveu o roteiro de toda a trilogia, lançada em longas-metragens de 1985, 1988 e 1989, estão dispostos a impedir que qualquer ideia de continuação da história protagonizada por Michael J.Fox e Christopher Loyd seja levada adiante.

Os 25 melhores filmes da década de 1980, segundo os leitores da Rolling Stone EUA.

“Isso não pode acontecer até que Bob e eu estejamos mortos. E então, eu tenho certeza de que vão tentar fazer, a menos que nosso espólio impeça”, declarou Zemeckis, que tem 64 anos, ao jornal britânico The Telegraph.

Dedo no botão de pause: dez cenas com erros, curiosidades e bizarrices escondidas que nos fazem parar e voltar mil vezes.

“Quer dizer, para mim, isso é um ultraje. Especialmente a partir do momento que é um bom filme. É como dizer, ‘Vamos fazer outro Cidadão Kane. Quem vai fazer o papel de Kane? O quão tolo, o quão insano isso é? Por que alguém faria isso?”.

O diretor e Bob Gale, também de 64 anos, já levaram a franquia de De Volta Para o Futuro além dos cinemas, para séries animadas, jogos de vídeo game, brinquedos de parque de diversão e espetáculos musicais.

Zemeckis, indicado ao lado de Gale para o Oscar de Melhor Roteiro Original, em 1986, com De Volta Para o Futuro, também dirigiu, entre outros, A Lenda de Beowulf, O Expresso Polar e Náufrago, e venceu o Oscar de Melhor Diretor, em 1995, com Forrest Gump: O Contador de Histórias.