Dirigir Star Wars é “uma oportunidade única na vida”, diz J.J. Abrams

“É preciso fazer uma abordagem da forma mais autêntica possível”, comenta o diretor

Rolling Stone EUA Publicado em 02/05/2013, às 11h01 - Atualizado às 11h07

J.J. Abrams
AP

Apesar de J.J. Abrams estar dando entrevistas para divulgar seu novo filme Além da Escuridão – Star Trek, o diretor parece estar respondendo um número igual de perguntas a respeito de outra franquia de ficção científica que está assumindo: seu próximo projeto é Star Wars Episode VII, o primeiro de três novos filmes que estão sendo planejados.

Entrevista: J.J. Abrams é um homem que sabe, em especial, o que não dizer – tanto sobre Star Trek quanto em Star Wars.

Abrams disse recentemente à BBC que depois de Além da Escuridão – Star Trek, esperava trabalhar em um filme que chamasse menos atenção, “um drama-comédia menor". E aí apareceu a oferta para fazer Star Wars. "Foi uma daquelas coisas, Star Wars parecia como uma daquelas oportunidades que só aparecem uma vez na vida e isso me forçou a parar e reconsiderar todas as regras", disse Abrams.

Apesar de o diretor afirmar que teme ficar associado demais aos reboots de franquias – "era uma das principais razões de eu ter dito ‘não’ inicialmente, para Star Wars", ele disse. “Pensei ‘não posso ser esse cara’” – seu fanatismo por Star Wars acabou falando mais alto.

A Disney anunciou uma nova trilogia de Star Wars depois de comprar a Lucasfilm por mais de US$ 4 bilhões ano passado. Depois, a empresa divulgou que também pretende fazer filmes únicos, que se sustentam sozinhos, para contar a história de outros personagens, fora do arco principal da trama. Abrams disse que terá que colocar seu “fanatismo nerd” de lado o máximo possível para fazer o Episódio VII, que deve ser lançado em 2015.

“É preciso fazer uma abordagem da forma mais autêntica possível. E também tentar filtrar tudo e tentar partir do núcleo dos personagens”, ele disse. "[Tem que ser] aquilo que você quer muito ver, não deve ser nunca aquilo que presume que seja o que os fãs podem gostar.”