Documentário inédito de Eduardo Coutinho abrirá festival É Tudo Verdade

Últimas Conversas estava em fase de pós-produção quando diretor foi assassinado pelo filho

Redação Publicado em 17/03/2015, às 15h25 - Atualizado às 19h42

Eduardo Coutinho: "Toda memória é mentira e verdade"
Aline Arruda/Divulgação

A abertura do festival de documentários É Tudo Verdade de 2015 será mais que especial. Últimas Conversas, filme que Eduardo Coutinho realizava quando foi assassinado em 2014, será exibido na noite de estreia da mostra.

Derrotado no Oscar, documentário sobre Sebastião Salgado leva o prêmio César.

Inédito, o longa-metragem estava em fase de pós-produção quando Coutinho foi assassinado pelo próprio filho em 2014. O processo de gravação envolveu entrevistas com 30 jovens do ensino médio da rede pública do Rio de Janeiro. Aos alunos foram feitas perguntas como “para que serve o dinheiro?” e “para que serve a escola?”.

Nicolas Cage terá papel em filme de Oliver Stone sobre Edward Snowden.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Jordana Berg, montadora do longa, relatou como atuava Coutinho durante as filmagens. "Ele sentava com os garotos e dizia: 'Quero ser como um marciano que faz perguntas absurdas'”. Segundo Jordana, Últimas Conversas funcionou com a mesma lógica que os outros filmes do diretor, dando espaço aos entrevistados, permitido que eles falassem de maneira livre e espontânea.

Vencedor do Oscar de Melhor Documentário, Citizenfour ensina que a paranoia com privacidade no pós-11 de setembro é justificada.

Eduardo Coutinho foi morto a facadas pelo filho, Daniel, portador de esquizofrenia. Daniel encontra-se internado em um manicômio.

O festival É Tudo Verdade acontecerá entre os dias 9 e 19 de abril em São Paulo. Em seguida, a mostra passa por Rio, Belo Horizonte, Brasília e Santos.