Dois executivos do Megaupload são libertados

Eles puderam pagar fiança, mas o fundador do site segue preso na Nova Zelândia

Redação Publicado em 26/01/2012, às 10h56 - Atualizado às 12h34

Kim Dotcom
AP

Dois executivos do Megaupload foram libertados sob fiança na Nova Zelândia nesta quinta, 26, de acordo com a agência de notícias France Presse. O fundador da empresa, Kim "Dotcom" Schmitz, contudo, continua tendo seu pedido de liberdade sob pagamento de fiança negado pelos juízes.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

O juiz David McNaughton aceitou as requisições de libertação do alemão Finn Batato e do holandês Bram van der Kolk. Além de Dotcom, mais um executivo segue preso, Mathias Ortmann. Na próxima sexta, 27, o juiz irá decidir se Ortmann também poderá sair da cadeia sob fiança.

A alegação do juiz é que a libertação de Batato e Van der Kolk é menos arriscada do que a de Dotcom, porque foram encontrados na casa dele passaportes e cartões de crédito com nomes diferentes, além de ele ter milhões em contas bancárias, o que significa muito mais facilidade de fuga. Além disso, faz parte de seu histórico uma fuga para a Tailândia para se livrar de acusações da justiça alemã, em um outro caso.

A defesa alegou que ele não tinha a intenção de escapar da Nova Zelândia, já que sua esposa está grávida. Ainda assim, Dotcom terá que ficar na prisão até o próximo exame do pedido de extradição dos Estados Unidos, que acontece em 22 de fevereiro. Enquanto isso, seus bens e recursos estão congelados.