Els Pynoo ganha o público em SP

Vocalista do Vive La Fête arranca gritos em primeiro show do duo nesta vinda ao Brasil

Por Artur Tavares Publicado em 13/10/2008, às 19h12

O duo franco-belga Vive La Fête iniciou nesta sexta-feira, 10, sua terceira turnê pelo Brasil na casa paulistana The Week. Com arranjos que compuseram um repertório mais dançante do que o do show paulistano de 2006, quando lançaram o álbum roqueiro Grand Prix, a vocalista Els Pynoo, o guitarrista Danny Mommens e a banda de apoio impuseram um ritmo puxado para a platéia, que não teve tempo de descansar.

Ao som de repetidos "gostosa" e "a-do-ro", Els Pynoo (alta, com cabelos quase brancos, farto decote e um tulezinho na cintura) despontou no palco assim que as primeiras batidas de "Nuit Blanche" começaram. Às vezes com pandeiro e maracá, Els se chacoalhou como se regesse os compassos e as paradas de sua banda. As letras repetidas em francês, que pareciam mais onomatopéias, como "Iá iá", foram facilmente assimiladas pela platéia.

O maior hit do Vive La Fête, "Nuit Blanche", foi gasto logo na abertura, mas assegurou identificação com a platéia, que pulou e acompanhou nos vocais. O duo seguiu com "Machine Sublime", com Els dançando ora feito uma bailarina, ora feito um robô. Ainda nas primeiras músicas da apresentação, o som deu a impressão incômoda de que a vocalista fazia playback, situação que foi resolvida pela quinta música.

A dupla voltou então a 2001, quando ainda mais enraizada no eletrônico, e de lá sacou "Tokio", reinventada em uma versão muito mais roqueira no palco. A partir daí, os músicos passaram a ter tanta participação quanto a vocalista, com destaque para o alto volume da bateria.

"Il Pleut" diminuiu o ritmo, com muita luz azul jogada no palco. As batidas passaram a ter mais compasso e menos peso. Em alguns momentos da apresentação, Els tentou conversar com a platéia, chegando a lamentar o fato de não falar português. Abraçou seus companheiros de banda, tomou muita água, e, discretamente, um copo de uísque.

O ritmo voltou a acelerar com "Touche Pas" e "Tele", esta do último disco do Vive La Fête, Jour de Chance, de 2007. E a apresentação terminou com mais duas do álbum Nuit Blanche: "Assez" e "Noir Désir". Em uníssono e com muita força, a platéia acompanhou os gritos de Els, na última música. A banda ainda fez uma breve jam antes de sair.

Minutos depois, a trupe voltou para um longo bis, com mais cinco músicas, segurando o público fiel até as 4h da manhã, principalmente durante o cover de "Candy", de Iggy Pop e de "Maquillage". No fim, muita luz branca e uma despedida calorosa. Assim que Els saiu do palco, a platéia começou a deixar a casa.

O Vive La Fête faz outras três apresentações no país, no Rio, em Brasília (festa fechada) e em Belo Horizonte.

Brasília - 17/10

Espaço Brasil Telecom - Brasília Alvorada Hotel - SHTN Trecho 1 Lote 1B Conjunto C - Informações: (61) 3306.3041

R$ 80

Rio de Janeiro - 18/10

Centro Cultural Ação Cidadania - Avenida Barão de Teffé , 75 - Informações: (21) 2516-3131

R$ 50 a R$ 100