Pulse

Roger Waters volta a pedir para que Gil e Caetano cancelem apresentação em Tel Aviv

Músicos brasileiros, no entanto, negaram apelo de ex-baixista do Pink Floyd

Redação Publicado em 10/06/2015, às 13h04 - Atualizado em 16/06/2015, às 13h57

Roger Waters - The Wall

Ver Galeria
(2 imagens)

Roger Waters, ex-baixista e fundador do Pink Floyd, escreveu uma nova carta em que pede aos músicos brasileiros que cancelem um show marcado para o dia 28 de julho em Israel. Escrito no dia 7 de junho, o texto foi divulgado pelo jornal Folha De São Paulo na manhã desta quarta-feira, 10.

Roger Waters: 10 clássicos da carreira solo e do Pink Floyd.

"Eu escrevi para Caetano e Gil e não recebi nenhuma resposta, mas suponho que eles cruzarão a linha do piquete para tocar em Tel Aviv", diz o Water, que ainda cita o fato de dois jovens palestinos terem sido baleados pelo exército israelense em janeiro como um motivo para o boicote.

Após hiato de dois anos, Roger Waters voltará aos palcos.

A mensagem foi encaminhada através do BDS, sigla global que tem como objetivo pressionar a saída de Israel de territórios palestinos através de “boicotes, desinvestimentos e sanções”. O grupo ainda promove uma página no Facebook batizada como “A Tropicália Não Combina com Apartheid”. O protesto virtual já reuniu mais de 10 mil assinaturas contra a performance da dupla em Tel Aviv.

Após Caetano Veloso e Gilberto Gil anunciam turnê conjunta para celebrar os 50 anos de carreira.

Em comunicado, as assessorias de Caetano Veloso e Gilberto Gil informaram que o show não será cancelado e que nenhum dos artista falará a respeito.

Leia a carta de Roger Waters enviada aos músicos brasileiros na íntegra:

"Ao Editor,

No mês passado eu escrevi para Caetano e Gil e não recebi nenhuma resposta, mas suponho que eles irão cruzar a linha do piquete e tocar em Tel Aviv. Que seja. Eles devem ter razões imperativas que estão guardando para si mesmos. Em minha carta a eles, eu falei sobre futebol, praias, direitos humanos e sonhos. Aqui vai uma história sobre sonhos e futebol.

Jawhar Nasser Jawhar, 19, e Adam Abd al-Raouf Halabiya, 17, dois jovens e promissores jogadores de futebol, sonhavam em um dia jogar profissionalmente, talvez até defendendo a camisa do país deles. Em 31 de janeiro, enquanto eles caminhavam para casa, saindo de uma sessão de treinamento no Estádio de Faisal al-Husseini em al-Ram, no centro da Cisjordânia, forças israelenses abriram fogo contra eles sem aviso.

Jawhar foi atingido sete vezes em seu pé esquerdo e três vezes no direito. Halabiya foi ferido uma vez em seu pé esquerdo e uma no direito. Médicos no hospital governamental de Ramallah dizem que os dois nunca chutarão uma bola de futebol de novo; na verdade, serão necessários seis meses de tratamento antes que os médicos possam avaliar se eles poderão andar novamente.

Estes dois jovens não foram acusados de nenhum delito, e nenhum inquérito foi aberto sobre as ações dos soldados responsáveis por suas lesões incapacitantes.

Assim, Caetano e Gil, Jawhar e Halabiya não estarão presentes no show de vocês em Tel Aviv. No entanto, os homens que os balearam estão livres para comparecer, se desejarem.

Roger Waters

7 de junho de 2015, Nova Iorque"