Em parceria com a Netflix, Angelina Jolie dirigirá filme sobre ativista cambojana

First They Killed My Father é inspirado nas memórias de Loung Ung

Redação Publicado em 24/07/2015, às 11h37 - Atualizado às 12h28

Angelina Jolie
Vince Bucci/Ap

Angelina Jolie anunciou uma parceria com a Netflix para dirigir um filme sobre as memórias da escritora e ativista dos direitos humanos Loung Ung. A autora, nascida no Camboja, viveu durante os anos do regime do Khmer Vermelho (1975 a 1979). Intitulado First They Killed My Father, o longa chega ao serviço de streaming em 2016.

O futuro dos filmes: a Netflix se tornará o próximo grande estúdio de Hollywood?

Além de dirigir o filme, a atriz também assinará como produtora executiva da obra. O roteiro foi escrito por Angelina em parceria com Loung, inspirado no livro First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers, lançado pela ativista cambojana em 2000. A trama tem como foco a percepção de um criança sobre o regime do Khmer Vermelho, que, durante os quatro anos que esteve no poder, matou mais de dois milhões de pessoas.

Winona Ryder será protagonista da série Montauk, da Netflix.

A autora foi uma das vítimas do regime. Obrigada a se tornar uma criança-soldado em um campo destinado aos órfãos, Loung foi separada dos irmãos e realizou trabalhos forçados.

Exclusivo: visitamos o set de Narcos, série protagonizada pelo brasileiro Wagner Moura.

Um dos filhos de Angelina Jolie, Maddox, nasceu no Camboja, fortalecendo a relação da atriz com a causa, na qual atua como enviada especial da ONU. Segundo o site Verge, existe a possibilidade de o jovem participar do longa.

Para a diretora, First They Killer My Father é “um filme que deve ser visto”. “A Netflix está tornando isto possível e estou ansiosa por trabalhar com eles e entusiasmada. Sei que o filme chegará a muita gente”, afirmou Angelina em comunicado à imprensa.