Estrelado e dirigido por Ben Stiller, A Vida Secreta de Walter Mitty faz releitura de conto clássico

O filme estreia nesta sexta, 20, e conta a história de um homem que abandona a rotina tediosa e cai no mundo em busca da “quintessência da vida"

Paulo Cavalcanti Publicado em 20/12/2013, às 17h47 - Atualizado em 21/12/2013, às 12h13

A Vida Secreta de Walter Mitty
Reprodução/vídeo

A Vida Secreta de Walter Mitty, conto de James Thurber, é um clássico da literatura norte-americana. Escrito em 1939, ele tem uma premissa bem básica que foi muito imitada. Walter Mitty é um cara de meia idade, apagado, que nunca se casou e tem uma vida totalmente sem graça. Para compensar, Mitty, sem avisar, “apaga” e começa a sonhar acordado. Ele se imagina em algum lugar distante como um conquistador, um aventureiro ou então alguém de enorme talento e poder.

O conto foi filmado em 1947, em uma versão que no Brasil ganhou o nome O Homem de 8 Vidas. Estrelada por Danny Kaye, a comédia fez muito sucesso na época e hoje é considerada clássica. Levou muito tempo para que alguém recauchutasse a história. Quem se aventurou agora foi o diretor e ator Ben Stiller e a nova versão estreia nos cinemas brasileiros nesta sexta, 20. Stiller é Mitty, um funcionário anônimo da revista Life, que há anos toma conta dos negativos da revista. Ele tem uma vida chata e não consegue chegar perto do sexo oposto nem frequentando sites de relacionamento. E ainda curte uma paixão platônica por uma colega de trabalho (Kristen Wiig). A Life está prestes a fechar no formato físico, para ficar apenas online. Mitty, então, recebe uma missão vital: receber e revelar o negativo da imagem que será a capa da derradeira edição da revista em papel. A imagem foi produzida por Sean O'Connell (Sean Penn), um mítico fotógrafo que corre o mundo para registrar a vida em lugares inóspitos e exóticos. O problema é que Mitty não consegue achar o negativo. Para evitar um desastre, ele deixa a vida rotineira e corre o mundo atrás de O’Connell para conseguir a tal imagem, que foi descrita pelo fotógrafo como a “quintessência da vida”.

Esta versão de Mitty não tem muito a ver com a antiga comédia surreal estrelada por Danny Kaye. É uma produção feita para a família, sem palavrões, violência ou sexo. É o tipo de filme otimista que carrega uma mensagem do tipo: “pare de sonhar, crie coragem, saia de casa e vá viver a vida”. Stiller interpreta Walter Mitty como um cara que, apesar de a princípio não ter nenhum atributo, consegue achar confiança e descobre que tem talentos não explorados. Como diretor, ele se mostra visualmente talentoso, criando imagens inesquecíveis, principalmente quando Mitty vai a cantos distantes do planeta como a Groenlândia e Afeganistão para encontrar a “quintessência da vida”.