Fãs de Michael Jackson processam acusadores do cantor

Advogado responsável já ganhou caso contra médico do cantor

Redação Publicado em 15/03/2019, às 19h24

None
Michael Jackson (Foto: Agent Press)

Wade Robson e James Safechuck foram as duas supostas vítimas de Michael Jackson que deram entrevistas para o documentário Leaving Neverland, que teve como objetivo expor o lado dos acusadores nos escândalos pedófilos que envolveram o cantor no final dos anos 1990.

Desde a estreia, o filme dividiu opiniões. A família e os fãs de Jackson continuam ao seu lado e insistem na inocência. Os fãs creem tanto nisso que foram à justiça tirar satisfações.

Nesta sexta, 15, três fãs clubes franceses dedicados a Michael Jackson abriram processos contra Robson e contra Safechuck.

EmmanuelLudot, o advogado dos fãs, falou à AFP sobre as acusações. Os clubes afirmam que os acusadores estão “maculando sua memória” e “linchando” o músico. “[Os grupos] querem com que as acusações de pedofilia sejam desacreditadas”, acrescentou. O processo é por danos morais, já que a indignação causada pelas graves acusações afetaram não só a reputação do cantor, mas também seu grupo de fãs.

Não é a primeira empreitada do advogado nesse meio. Anteriormente, ele processou, também para os fãs clubes, ConradMurray, o médico que receitou os remédios que mataram MichaelJackson. Na época, também alegou danos morais. Ludot ganhou o caso.