Festival do Rio 2013: Bem humorado The National: Mistaken For Strangers vai além do mero registro de bastidores

Filme dirigido por Tom Berninger, irmão do vocalista Matt, toma rumos inesperados

Paulo Gadioli, do Rio de Janeiro Publicado em 02/10/2013, às 12h50 - Atualizado às 13h04

The National - Mistaken for Strangers
Divulgação

Em 2010, a banda norte-americana The National embarcou na maior turnê de sua carreira. O vocalista Matt Berninger achou que seria boa ideia trazer seu irmão como roadie. Decisão curiosa, já que o conjunto de Cincinnati possui duas duplas de irmãos, deixando Matt como único a não ter um membro de sua família no grupo. Antes do início da viagem, Tom Berninger, o estereótipo do roqueiro que adora festas, leva uma câmera para documentar a viagem e acaba se tornando o principal personagem do que seria o registro da turnê.

Performance conceitual em museu norte-americano reforça o amargor musical e existencial do The National.

Assim, Mistaken for Strangers toma rumos diferentes do esperado. Em vez de ser um mero making of da intensa temporada de shows, torna-se um estudo da relação entre dois irmãos – das frustrações, incompreensões e diferenças que Matt e Tom sequer sabiam que existiam. Com seu jeito peculiar, o documentarista cria situações únicas que deixam o documentário repleto de bom humor.

Diretor de filmes de terror amadores, o documentarista aborda seus personagens como uma ingenuidade cômica. Buscando poses supostamente intelectuais e profundas dos integrantes da banda, ele os dirige da forma mais desastrada possível e, em vez de colocar no longa apenas o resultado final, mostra todo o diálogo, como quando manda o baixista fazer olhares sensuais para a câmera e para o teto.

As festas são constantes, e rendem problemas para Matt. Mas Tom não se importa. Continua bebendo, farreando e fazendo entrevistas improvisadas com a banda, testando a paciência de seus chefes ao limite. O desfecho desse tipo de situação é o esperado. Ele é mandado para casa mais cedo e, de volta ao lar dos pais, vai fundo no ponto forte do documentário: a relação entre ele o irmão famoso.

Ainda temos cenas de shows e eventos de imprensa, mas todos vistos pelo particular filtro de Tom. Uma entrevista dada pelo vocalista do The National em um hotel de Paris, por exemplo, vira motivo de piada enquanto o documentarista filma a ele mesmo. E é justamente essa presença, por vezes narcisista, que dá o tom do longa, um interessante docudrama familiar.

Confira os horários de exibição de The National: Mistaken for Strangers no Festival do Rio:

Quarta, 2/10, às 23h30, Estação Botafogo 3

Domingo, 6/10, às 17h, Cine Santa

Veja mais da cobertura do Festival do Rio nos textos relacionados abaixo.