FILE começa nesta terça-feira

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica apresenta inovações tecnológicas na arte. Mostra vai até 31/8

Por Artur Tavares Publicado em 05/08/2008, às 11h31 - Atualizado às 16h48

Grafitti digital: artistas reproduzem imagens em prédios a partir de uma caneta a laser e um projetor
Divulgação

Começa nesta terça-feira, 5, em São Paulo a nona edição do FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica). Em cartaz até 31 de agosto na Galeria de Arte do Centro Cultural Fiesp, a exposição apresenta aos brasileiros as inovações tecnológicas usadas em artes eletrônicas. A entrada é franca.

A Rolling Stone visitou a abertura da exposição. Confira um vídeo aqui.

Neste ano, parte das instalações presentes no Centro Cultural Fiesp são voltadas para a música. Entre os destaques está a IS.3S, um jardim com plantas que emitem sons quando tocadas por mãos humanas.

Os sons ainda marcam presença na instação japonesa Kodama, que capta a voz e a transforma em bolhas sonoras em uma floresta infestada de fadas, e na brasileira Crepúsculo dos Ídolos, que coloca o espectador em frente a algumas televisões e um microfone. Ao som da fala, a imagem transmitida ao vivo é alterada por distorções coloridas.

A interação entre o homem e o mundo virtual ainda é presente no Transpose, que transforma os movimentos das pessoas em música, e no Full Body Games, que coloca o jogador em meio a uma chuva de blocos coloridos. A missão é ordená-los por cor.

Além da exposição, a primeira semana de FILE ainda trará aos paulistanos filmes produzidos com a tecnologia 4k, em altíssima definição. Cada película é apresentada com mais de 8 milhões de pixels por quadro. O cineasta norte-americano David Lynch, um dos maiores entusiastas do cinema digital, gravou Império dos Sonhos, seu mais recente filme, em uma câmera semi-profissional que gera 230 mil pixels por quadro. Uma produção feita em filmadoras analógicas de 35mm chega a ter aproximadamente 20 milhões de pixels por quadro.

Os games para computador também ganham destaque na mostra. São mais de cinqüenta, que podem ser testados por qualquer espectador. Muitos são brasileiros, e protagonizados por índios, líderes de quilombos na época da escravidão e por lutadores de capoeira.

Pela primeira vez, a FILE traz ao Brasil artistas que reproduzem imagens gigantes em prédios, feitas com uma caneta a laser e um projetor. Entre esta terça e a próxima sexta, 8, prédios da cidade de São Paulo receberão as projeções sem avisos prévios.

Outra programação exclusiva dos três primeiros dias de FILE é o Hipersônica, que marca apresentações de artistas que usam a tecnologia em benefício das criações de suas músicas, danças e performances audiovisuais.

A programação oficial da FILE pode ser conferida no site oficial do evento, clicando aqui.

FILE - Festival Internacional de Linguagem Eletrônica - 5/08 a 31/08

Galeria de Arte do SESI - Av. Paulista, 1313 - Informações: (11) 3146-7405 / 3146-7406

De terça-feira a sábado, das 10h às 20h, às segundas-feiras, das 11h às 20h e aos domingos, das 10h às 19h.

Entrada franca

FILE CINEMA DIGITAL - 5/08 a 8/08

Teatro do SESI - Av. Paulista, 1313

Sessões às 13h, 16h e 19h

FILE HIPERSÔNICA - 5/08 a 8/08

Teatro do SESI - Paulista Av. Paulista, 1313

Retirar convite no dia a partir das 12h

FILE - SYMPOSIUM - 5/08 a 8/08

Mezanino do Centro Cultural Fiesp- Av. Paulista, 1313