Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Filho de Elis Regina considera show 3D da cantora

Depois do sucesso do comercial em que rosto de Elis Regina é criado por Interligência Artificial, João Marcello Bôscoli considera um show da cantora em 3D

Redação Publicado em 06/07/2023, às 10h51

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Rosto de Elis Regina criado por Inteligência Artificial (Foto: reprodução/YouTube)
Rosto de Elis Regina criado por Inteligência Artificial (Foto: reprodução/YouTube)

João Marcello Bôscoli, filho da cantora Elis Regina, considera reproduzir um show da mãe em versão 3D. O músico relatou ao Jornal O Globo que gostou do sucesso do comercial feito por "deepfake" em que mostrava Elis Regina, morta há 41 anos, em um dueto inédito com a filha, Maria Rita.

"A inteligência artificial é como um dia foi a televisão. Num primeiro momento, pode deixar a gente sem saber direito o que é, mas aos poucos vai entrando no nosso dia a dia, queiramos ou não."

+++LEIA MAIS: Como João Marcello Bôscoli trabalha para trazer a mãe, Elis Regina, para as novas gerações [ENTREVISTA]

Tenho usado bastante a inteligência artificial na restauração do acervo de minha mãe, pegando fitas analógicas, e para isso esse recurso é extremamente útil. Não para substituir o trabalho humano, mas para fazer coisas que a gente não conseguiria fazer," relatou.

O comercial foi lançado na última segunda-feira, 3 e celebra os 70 anos da Volkswagen no Brasil. No vídeo, temos Elis Regina e Maria Rita cantando a música "Como Nossos Pais" lado a lado. 

No vídeo, Maria Rita dirige a nova Kombi ID.Buzz, e Elis aparece dirigindo a Kombi clássica na mesma estrada. De acordo com o UOL, uma atriz interpretou Elis e o rosto, modificado por meio de uma tecnologia de reconhecimento facial. O comercial foi dirigido pelo publicitário Dulcídio Caldeira. A produção foi da Boiler Filmes, com áudio da Raw. Confira abaixo: 

+++LEIA MAIS: Como João Marcello Bôscoli trabalha para trazer a mãe, Elis Regina, para as novas gerações [ENTREVISTA]

Bôscoli ressalta que acha "tudo extremamente positivo" quanto à utilização de novas tecnologias para trazer à tona a obra da mãe. E discorda das críticas, apesar de entendê-las e respeitá-las, como reforça. Ele não descarta, por exemplo, a possibilidade de usar o "deepfake" para, quem sabe, levar uma Elis Regina em 3D para os palcos:

— A inteligência artificial é como um dia foi a televisão. Num primeiro momento, pode deixar a gente sem saber direito o que é, mas aos poucos vai entrando no nosso dia a dia, queiramos ou não — diz ele. — Tenho usado bastante a inteligência artificial na restauração do acervo de minha mãe, pegando fitas analógicas, e para isso esse recurso é extremamente útil. Não para substituir o trabalho humano, mas para fazer coisas que a gente não conseguiria fazer.