Como sempre, Gisele Bündchen rouba a cena na SPFW

Desfile da Colcci marcou volta da modelo após gravidez; Neon, Do Estilista e Amapô também se destacaram no domingo, 13, quinto dia da semana de moda paulistana

Por Fernanda Catania Publicado em 14/06/2010, às 11h33

Desfile da Colcci marca volta de Gisele Büdchen para as passarelas após gravidez

Ver Galeria
(10 imagens)

Em dia de Gisele Bündchen na São Paulo Fashion Week, não se fala em outra coisa. Desde o primeiro desfile deste domingo, 13, só era possível ouvir perguntas como "Ela já chegou?", "Onde ela está?", "Dá para entrar no camarim?". A aglomeração de gente na porta da sala da Colcci também indicava que não era um dia normal na semana de moda paulistana - e sim o mais importante deles. Mas a sensação era de que todo o esforço e aperto para tentar chegar perto da modelo foi em vão. A não ser canais de TV (a modelo deu uma entrevista ao programa Domingão do Faustão, da Globo) e fotógrafos, ninguém conseguiu ver - como sempre - Gisele antes da hora. O fato do desfile marcar a volta da modelo para as passarelas após sua gravidez aumentou ainda mais a expectativa de vê-la, mesmo que de longe. Por isso, horas antes do desfile, uma enorme fila já se formava em frente a sala principal do Pavilhão da Bienal.

Mas não foi só de Gisele que viveu o evento neste domingo. Para compor o dia mais importante da semana fashion, grandes grifes passaram pelas passarelas antes da Colcci. O clima de faroeste da coleção de Marcelo Sommer, da marca Do Estilista, abriu o dia tão esperado. Depois, veio o náutico moderninho da Neon, de Dudu Bertholini e Rita Comparato, o desfile emocionante de João Pimenta, as supermodelos da Paola Robba, a festa regional de Pitty e Carô para a Amapô e a inspiração turca de Mario Queiroz. Confira abaixo os melhores momentos:

Do Estilista, às 12h

Para abrir o quinto dia de SPFW, foi escolhida a coleção primavera-verão de Marcelo Sommer. O desfile foi realizado na casa noturna paulistana Vila Country. Fora Ana Cláudia Michels, a maioria dos que iriam desfilar não era modelo. Com os cabelos na cor verde, a VJ Mari Moon foi uma das convidadas. "Não tenho altura nem peso de modelo, mas sempre precisam de celebridade né", disse ao site da Rolling Stone Brasil. A primeira vez que Mari desfilou foi há um mês para a grife Dona Florinda, em Fortaleza. O chamado para a SPFW aconteceu quando foi pedir um convite para assistir ao desfile. "O Sommer é um dos meus estilistas preferidos. Fiquei muito emocionada", contou. A VJ adora moda e se inspira principalmente na música para compor seu estilo. "Ouvia muito grunge quando estava formando minha personalidade, tipo Nirvana, Garbage e Pearl Jam", contou, complementando que moda e música "se alimentam". "O que seria de David Bowie? E Lady Gaga?", disse. "O cinema me inspira muito também, principalmente os filmes de Tim Burton."

Neon, às 14h30

Certamente o desfile da Neon era um dos mais esperados do dia. Sempre criativo, o desfile prometia surpreender, ainda mais por ser realizado no Conjunto Desportivo Baby Barioni. Dito e feito. As modelos desfilaram em volta da piscina do ginásio, finalizando com nadadoras profissionais da Santa Casa de Medicina pulando na piscina de maneira sincronizada (cada maiô estampava uma letra, formando a palavra Neon) . "É uma coleção fresh", disse Dudu Bertholini ao site da RS Brasil. "A gente diz que a mulher do iate atracou na praia dos surfistas", completou Rita. Para embalar o clima náutico e desportivo, músicas do Supertramp e Peter Gabriel - escolhidas por Rita. "Tem a ver com o momento que estou vivendo agora, de mudanças. Além de combinar com a coleção, por serem músicas tranquilas", contou. "Antes eu participava mais da escolha da trilha, mas como minha sócia tem um gosto muito forte e é apaixonada por música ela não me deixa palpitar, mas confio nela", finalizou Dudu, rindo.

Paola Robba, às 17h

Supermodelos marcaram presença no desfile de Paola Robba. Entre as principais estavam Fernanda Tavares - que não desfilava no evento há cinco anos -, Raica Oliveira e Ana Cláudia Michels. As tops exibiram suas curvas em biquínis que tiveram como tema o livro Brazil - Portrait of a Great Country, de 1959. A grife de moda de praia ainda se inspirou no trabalho do arquiteto Oscar Niemeyer com peças em recortes vazados em preto e branco. A trilha sonora contou com músicas da MPB, como de Elis Regina.

Amapô, às 18h

"Fizemos a festa regional do Estado da Amapô", brincou a estilista Carô, em entrevista ao site da Rolling Stone Brasil. "Então fizemos [ela e Pitty] nossa festa regional, com trajes inspirados nas roupas das festas brasileiras", completou. Na trilha sonora: Mestre Ambrósio, Nação Zumbi e Clara Nunes, entre outros. A cantora Mariana Aydar fez questão de conferir o desfile. "Sou amiga da Carô há muito tempo, nos conhecemos no forró", contou. "Estava muito curiosa para saber o que elas iam fazer, como iam transportar [a música regional] para a passarela. Achei muito legal, ficou muito moderno e brasileiro ao mesmo tempo", disse. "[A trilha sonora] foi incrível, forrózão, né." A cantora se veste dependendo da inspiração do dia. "Hoje estou meio forró, em homenagem ao desfile", afirmou, rindo. Aydar, que ainda está fazendo a turnê de seu segundo CD, Peixes, Passáros, Pessoas (2009), disse que pretende começar a trabalhar em um novo disco em 2011.

Colcci, às 21h

Dentro da sala onde aconteceria o desfile da Colcci, um mar de gente se apertava para conseguir um lugar para ver Gisele Bündchen. Nos 30 segundos de cada uma das quatro aparições da modelo, aplausos, suspiros e barulhos frenéticos de flashes de máquinas fotográficas. Não muito diferente aconteceu nas entradas do ator Reynaldo Gianecchini na passarela: gritos - predominantemente de mulheres - e aplausos tomaram conta da sala. A coleção foi inspirada no clima de praia, mar e sol - a impressão que se tinha era de que os cabelos dos modelos estavam molhados. Em entrevista ao site da RS Brasil, o ator disse que se identificou com a temática: "Sou completamente solar. Amo praia, sol, mar, cachoeira." Mas Gianecchini revelou não seguir a moda. "Pego várias referências, de coisas que vejo e gosto", disse."Sempre fui muito caipira até os 18 anos. Quando comecei a trabalhar com TV é que passei a me importar com isso e me vestir de acordo com minha personalidade", contou o ator, que disse estar viciado nas músicas de Maria Gadú. "Ela é a maior revelação brasileira atualmente."