“Gostaríamos de fazer algo com a Shakira”, diz vocalista do Coldplay sobre show do Rock in Rio

Chris Martin quer a colombiana no palco, mas ele não pretende cantar em espanhol

Paulo Terron, do Rio de Janeiro Publicado em 30/09/2011, às 20h06 - Atualizado às 20h16

Chris Martin
AP

Depois de gravar com Rihanna para o ainda inédito álbum Mylo Xyloto, o Coldplay agora sonha em dividir o palco do Rock in Rio com a colombiana Shakira. “Gostaríamos de fazer algo com ela”, disse o vocalista Chris Martin nesta sexta, 30, no Rio de Janeiro, sentado em uma sala comercial de seu hotel, em Ipanema, com uma bela vista da praia ao fundo. “Só não sabemos se ela ainda estará por aqui, acho que ela vai embora. Mas pelo menos podemos ir assisti-la.” A banda britânica se apresenta no sábado, 1 de outubro, no Palco Mundo.

Caso essa improvável junção venha a se concretizar, não espere ouvir os versos de Martin proferidos em espanhol ou qualquer outra língua. “Admiro essas pessoas tipo a Shakira e o Ricky Martin, que conseguem cantar em várias línguas”, disse. “É impressionante. Nós não conseguimos. Todas as vezes em que tentamos cantar em alguma que não fosse o inglês, deram risada de nós. É terrível. Sempre penso que tivemos sorte em nascer em um lugar onde se fala inglês - e que tanta gente cante nessa língua - porque se tivéssemos nascido na Hungria ou na Suécia, seria um desafio completamente diferente. Adoraríamos cantar em espanhol, mas seria horrível.”

Inicialmente, Martin e companheiros dividiriam a noite com Jay-Z, com quem gravaram a música “Lost”, em 2008. “Acho que essa parceria seria a óbvia, né? Mas ele teve de cancelar, não sei o que aconteceu”, contou Martin. “A Rihanna também seria legal, mas ela foi embora. Quanto tempo será que ela demoraria para voltar? Se você for buscá-la, podemos fazer!”, brincou, referindo-se à recém-gravada faixa “Princess of China”.

O músico explicou que isso tipo de parceria, nos palcos, geralmente ocorre de forma espontânea. “Estamos lá, jantando, e decidimos fazer.” Para o sofrimento dos outros músicos. “Aí eu tenho duas horas para aprender alguma música”, retrucou o guitarrista Jonny Buckland, mais brincando do que reclamando.

O repertório de Mylo Xyloto estará bem representado no show de sábado: serão mostradas seis das 11 canções (outras faixas do trabalho são vinhetas) do álbum, entre elas “Every Teardrop is a Waterfall” e “Hurts Like Heaven”. “A cada disco que fazemos, sabemos que pode levar certo tempo até que algumas pessoas entendam onde estamos [musicalmente]. Nem sempre é imediato”, explicou Chris Martins sobre executar as novidades na frente de 100 mil pessoas sem que o disco tenha sido lançado. “E sempre tocamos nossas canções de maior sucesso, nunca as deixamos de fora.” O guitarrista completa: “Não queremos nos apoiar em nostalgia. Queremos dar às pessoas o que elas querem, mas também oferecer algo de novo, fresco.”