Guns N' Roses: oito grandes dúvidas sobre a reunião da banda

Izzy Stradlin pode participar? Quem deu início às conversas? O que vai acontecer depois do Coachella?

ANDY GREENE Publicado em 06/01/2016, às 12h30 - Atualizado às 12h34

Guns N' Roses
Owen Sweeney/Associated Press/Paul A. Hebert/Invision/AP

Depois de meses de especulação e do anúncio do show do Guns N’ Roses no festival Coachella, nos Estados Unidos, a banda finalmente confirmou que o guitarrista Slash e o baixista Duff McKagan se juntarão ao vocalista Axl Rose na banda. McKagan tocou com o Guns em uma série de shows em 2014, mas Slash não sobe ao palco com o grupo desde o fim da turnê Use Your Illusion , em 1993. O retorno do guitarrista é uma das notícias mais bombásticas no mundo da música nos últimos anos, algo certamente capaz de encher estádios pelo mundo todo caso uma turnê venha a se concretizar. No entanto, ainda há muitas coisas que não sabemos sobre essa reunião. Aqui, detalhamos algumas destas questões.

Galeria: as 15 separações mais conturbadas do rock.

1 - Izzy Stradlin pode participar?

O guitarrista teve um papel crucial nas gravações de Appetite For Destruction (1987), do EP G N' R Lies (1988) e de Use Your Illusion I (1991) e II (1991). Desde então, ele se tornou uma figura misteriosa, ainda que tenha lançado discos solo pouco conhecidos. Stradlin se juntou a alguns de seus ex-companheiros de Guns nos primeiros ensaios do Velvet Revolver, mas acabou optando por não fazer parte do projeto. Em 2006, ele surpreendeu os fãs do Guns ao tocar com a banda em um show em Nova York. A partir daí, fez diversas participações com o grupo, especialmente na turnê europeia de 2012. Mas ele não apareceu quando o Guns entrou para o Hall da Fama do Rock and Roll, naquele mesmo ano, e não há nenhuma notícia sobre ele fazer ou não parte desta reunião.

2 - Se Izzy não tocar, quem acompanhará Slash?

DJ Ashba e Ron “Bumblefoot” Thal deixaram o Guns no ano passado, embora o atual status do terceiro guitarrista da última formação, Richard Fortus, não esteja claro. Se Fortus não participar, poderia Gilby Clarke fazer parte da reunião? Foi ele quem substituiu Izzy em 1991, além de ter participado da cerimônia no Hall da Fama do Rock, em 2012. Será que haverá um espaço para Dave Kushner, do Velvet Revolver? Axl irá querer trabalhar com dois guitarristas, como nos velhos tempos, ou irá permanecer com três?

3 - Quem vai tocar bateria?

Frank Ferrer está com o Guns N’ Roses há dez anos, e parece uma escolha provável. Mas não podemos nos esquecer de Matt Sorum. Ele entrou para o grupo em 1990 para o disco Use Your Illusion e tocou com Slash e McKagan no Velvet Revolver nos anos 2000. Há ainda Steven Adler, da era Appetite for Destruction. Ele deixou o Guns em 1990 devido a problemas com drogas, e desde então foi o integrante que mais clamou por uma reunião. No entanto, permaneceu calado desde que os recentes rumores começaram. Ele nunca tocou as canções de Use Your Illusion ao vivo com a banda, e é difícil imaginá-lo sozinho no posto de baterista durante uma possível turnê. Mas será que Sorum poderia ter um papel similar ao que Mick Taylor teve em algumas turnês recentes dos Rolling Stones, quando o guitarrista fez participações em algumas músicas?

4 - Quem mais da última formação do Guns N’ Roses estará envolvido?

O tecladista Dizzy Reed está com o grupo desde 1990, então é muito provável que também faça os shows. Chris Pitman, outro tecladista, acompanha Axl desde 1998. Com o retorno de McKagan, o baixista Tommy Stinson fica de fora. Como dito acima, não se sabe de nada sobre o baterista Frank Ferrer e o guitarrista Richard Fortus. Alguns fãs antigos do Guns gostariam de ver a formação mais recente do grupo completamente desfeita, mas isso é improvável.

5 - O que vem depois do Coachella?

Há boatos sobre uma turnê em estádios – é difícil imaginar que a banda iria se reunir apenas para shows no festival e nada mais. Ainda assim, precisamos levar em consideração exemplos passados. O Led Zeppelin fez apenas um show em 2007 e não se apresentou novamente desde então. Os egos podem ser um grande problema nessas reuniões e as coisas podem acabar desmoronando rápido, não importa a quantidade de dinheiro envolvido.

6 - Eles irão tocar faixas do disco Chinese Democracy ?

Pela lógica, imaginaríamos que a banda montaria um setlist baseado em canções feitas entre 1987 e 1991. Mas o Guns lançou um outro álbum em 2008, o famigerado Chinese Democracy. Duff McKagan tocou essas músicas quando participou de shows da banda em 2014. Slash estaria disposto a fazer o mesmo? Há ainda as canções do Velvet Revolver. “Fall To Pieces” nasceu como uma faixa do Guns. Será que Axl consideraria cantá-la, como um tributo a Scott Weiland?

7 - Haverá canções inéditas?

A maioria dos shows de reunião costuma ser baseada em material antigo, mas pode ser que Slash e Axl queiram que essas apresentações sejam mais do que um mero exercício de nostalgia. Será que há alguma chance de os dois trabalharem em uma ou duas novas canções? Será possível que eles entrem em estúdio em algum momento?

8 - Como essa reunião aconteceu?

Foi Slash quem procurou Axl ou o contrário? Existe a possibilidade de eles sequer terem se falado ainda, e de todo esse acontecimento ter sido arquitetado por um exército de empresários e advogados? Poderia McKagan ter servido como um elo de paz quando fez participações em shows da banda algum tempo atrás? Será essa reunião feita aos moldes do Van Halen, quando Eddie Van Halen e David Lee Roth sequer se falavam fora do palco? Teria Axl pedido desculpas por ter chamado Slash de “um câncer”? Estamos todos ansiosos por respostas.