História de Claudinho e Buchecha vai virar filme em 2020: "Vamos ganhar prêmios", diz Buchecha

Nosso Sonho contará a história da carreira estrondosa da dupla, que lançou seis discos entre 1996 e 2002, quando Claudinho morreu

Redação Publicado em 25/06/2019, às 18h24

None
Claudinho e Buchecha (Foto: Reprodução Instagram)

Claudinho e Buchecha, dupla de sucesso dos anos 1990, vai ganhar uma cinebiografia pela Urca Filmes contando a história de sua curta e estrondosa carreira, conforme contou Buchecha para Leo Dias nesta segunda, 24. 

O filme será lançado em 2020 e recebeu o nome Nosso Sonho, em homenagem à faixa homônima lançada em Claudinho & Buchecha (1996), disco de estreia da banda. O longa vai falar sobre a carreira dos dois amigos, que começou quando eram adolescentes e cantavam rap e terminou com a morte acidental de Claudinho, em 2002. 

"Será um filme que conta toda a trajetória da dupla”, disse Buchecha. “Pegaram histórias da minha família, coisas que eu contei sobre nós, da família do Claudinho, relatos de fãs. Está bem completo. Tenho certeza que será muito premiado e vai emocionar e surpreender"

Mesmo após a morte de Claudinho, Buchecha continuou fazendo shows e apresentando sucessos da dupla, como “Só Love”. O músico comentou que, todas as vezes que faz um show, lembra de sua dupla. “É inevitável. Ficou marcado na minha memória a primeira vez que cantamos juntos, ele indo na minha casa para escrevermos a primeira música, para participarmos de festival. São muitas lembranças."

Os dois artistas se conheceram ainda na infância, em São Gonçalo, Rio de Janeiro. Quando adolescentes, iam em festas de funk e assistiam batalhas de rap. Em 1992, participaram juntos e ganharam um concurso de rap, o que abriu espaço para que ganhassem reconhecimento local. 

Começaram a trabalhar juntos, e criaram a dupla Claudinho & Bochecha, trocando o rap pelo funk. Em 1996, lançaram o primeiro disco, nomeado como a dupla, pela Universal Music. Alcançaram platina tripla. A Forma, disco seguinte, também vendeu mas de 750 mil cópias. Lançaram, na carreira, um total de seis álbuns - o último deles, Vamos Dançar, alguns meses antes da morte de Claudinho em um acidente de carro. 

+++ De Emicida a Beyoncé: Drik Barbosa escolhe os melhores de todos os tempos