Pulse

Marcelo Nova abriu com estilo o palco principal do Lollapalooza

Paulo Cavalcanti Publicado em 07/04/2012, às 16h43 - Atualizado em 08/04/2012, às 01h51

Marcelo Nova

Ver Galeria
(2 imagens)

Apesar de ser um dos mais emblemáticos roqueiros brasileiros, Marcelo Nova nunca é convidado para grandes festivais. Nessa edição do Lollapalooza, esse erro foi corrigido. Nova abriu os trabalhos do palco Cidade Jardim, que é o principal do evento.

Precisamente às 14h, com o sol a pino, Nova subiu ao palco ao som de “Rock ‘n’ Roll”, canção que firma seus princípios roqueiros. “Até chegar minha hora, toco rock até o fim", bradou. Quando acabou a canção, ele mandou o primeiro "bota pra fuder" da tarde. Depois veio “Hoje”, com todos bradando o grito de guerra "acho que eu fui enganado!"

Nova então anunciou “O Mundo Está Encolhendo”, um boogie rock onde desce o pau nos políticos, advogados e donos do poder. O cantor tirou sua guitarra e, empunhando apenas o microfone, adentrou a passarela que invadia a área da plateia para cantar o hit “É Só o Fim”. Ao término da música, perguntou ao público: “Vocês estão se divertindo? Obrigado por enfrentarem o sol”. Nova também indagou ao pessoal se eles conheciam o disco Panela do Diabo, que ele gravou com Raul Seixas. Foi deixa para ele tocar uma das faixas do álbum, "Quando Eu Morri". Animado, o já excelente público começou a bradar “bota pra fuder”. Nova então mandou ver no hit retrô "Simca Chambord”. O cantor agitou, correu pelo palco e até se meteu a tocar piano.

“Vocês querem mais? Essa é aquela hora que o artista sai do palco. Todo mundo sabe que o babaca vai voltar, mas vamos pular essa parte”, falou o cantor. E antes da próxima canção, disse: “Esse é o nosso hino”. O musico então executou “Pastor João e a Igreja Invisível”, uma gozação com igrejas e pastores gananciosos. Antes da música terminar, ele apresentou sua segura banda de apoio, que tinha na guitarra o veterano Hélcio Aguirra (ex-Golpe de Estado) e Drake Nova, filho do dono do show. Depois dos agradecimentos finais, o show foi encerrado com “Eu Não Matei Joana D’arc”, hit dos tempos do Camisa de Vênus. Exatamente às 15h, Nova saiu do palco, aclamado pelo público, que a essa altura começava a se avolumar.