Feitiço do Tempo, de 1993, será adaptado para musical

Músico e comediante Tim Minchin é quem comanda nova versão da trama originalmente protagonizada por Bill Murray

Rolling Stone EUA Publicado em 19/01/2014, às 10h56

Feitiço do Tempo
Reprodução

O músico e comediante Tim Minchin está planejando uma adaptação musical para os palcos de Feitiço do Tempo, a icônica comédia de 1993 protagonizada por Bill Murray como um egocêntrico homem do tempo que é forçado a viver o mesmo dia seguidamente.

Galeria: dez filmes que foram (ou vão) parar na Broadway.

“Parece que nosso pequeno segredo vazou”, escreveu Minchin recentemente em seu site oficial, no anúncio da adaptação do roteiro “icônico e brilhante” de Danny Rubin. “É o próprio Danny que está escrevendo o texto; eu estou escrevendo as músicas e as letras, e Matthew Warchus é o diretor.”

Embora não poupe elogios à “verdadeira comédia clássica” dirigida por Harold Ramis, o músico garantiu que a versão musical será “ao mesmo tempo reconhecível e completamente diferente”. “Seria impossível tentar traduzir o estilo e o tom do filme no palco”, escreveu. “Mesmo se isso fosse possível, não me interessaria.”

“O conceito central é perfeitamente cabível ao teatro”, continuou. “Na verdade, acho que muitas das ideias podem ser aprimoradas no palco. Tem potencial para ser complexo, obscuro, visualmente fascinante e tematicamente rico, mesmo sendo uma comédia romântica com músicas legais e muitas piadas. Certamente não é um trabalho fácil, e estou verdadeiramente honrado – e genuinamente animado – por Danny ter me deixado por a mão nisto.”

Minchin ainda observa que a ideia da adaptação já está no ar há alguns anos, sendo que o lendário Stephen Sondheim foi quem originalmente a sugeriu. “Eu tenho falado com ele [Sondheim] sobre isso”, disse. “E a verdade é que foi ele quem apareceu com a ideia. Ele colocou em segundo plano, e agora está feliz que estamos indo adiante. Temos a benção de Steve – e é uma benção que valorizo enormemente.”

A equipe espera trabalhar no projeto durante os próximos meses, com a ideia de levar a peça para o palco nos próximos dois anos. Mas Minchin, sempre com uma boa piada, alerta os fãs para se prepararem para o inesperado: “Talvez todo o projeto caia em um looping temporal. E não conseguiremos terminar de escrever até que alcancemos a sabedoria.”