Imagem de Marilyn Monroe não renderá mais lucros a herdeiros

Diferença entre leis de Nova York e Califórnia fez com que a decisão fosse parar da justiça

Redação Publicado em 31/08/2012, às 12h58 - Atualizado às 15h19

Marilyn Monroe
AP

Marilyn Monroe é uma das estrelas mais populares do mundo. E mesmo tendo se passado 50 anos desde sua morte, ela rende, segundo informou pesquisa recente da revista Forbes, cerca de US$ 25 milhões por ano. Mas a partir de agora ninguém terá o direito de negociar a imagem da atriz, como decidiu a Corte da Califórnia nesta quinta, 30. As informações são do site da revista The Hollywood Reporter.

Galeria: 50 anos sem o mito Marilyn Monroe.

Até então, lucravam sob sua imagem a agência CMG Worldwide e Anna Strasberg, viúva de Lee Strasberg, professor de teatro de Marilyn. Mas a diferença entre as leis na Califórnia e em Nova York fez com que o negócio tenha ido parar na justiça.

Na Califórnia, a legislação permite que estrelas como Marilyn tenham sua imagem negociada mesmo depois de mortos. Em Nova York, no entanto, esta possibilidade é proibida – e a atriz tinha moradia nos dois locais. A Corte decretou que como a atriz morreu na Big Apple, são as leis de lá que devem valer para o caso.

Marilyn Monroe era mais comumente vista na costa oeste dos Estados Unidos, já que era por lá que trabalhava, mas quando morreu de overdose em 1962 os responsáveis pelos processos jurídicos registraram sua moradia em Nova York, pois assim as taxas cobradas seriam bem menores.

A escolha, após tanto tempo, pode custar caro. Por maior que tenha sido a economia na época, dificilmente chegaria perto de US$ 25 milhões.