Imagine Dragons, sensação do rock nos Estados Unidos, quer tocar no Brasil em 2014

“A gente se sente muito honrado de ser ao menos conhecido por aí”, dizem os donos do hit “Radioactive”

Bruna Veloso, da Filadélfia Publicado em 31/08/2013, às 21h46 - Atualizado às 22h20

Imagine Dragons

Sob um forte calor, o público do festival Budweiser Made in America, na Filadélfia, se rendeu ao carisma e aos tambores do Imagine Dragons. Atração do palco principal do evento, a banda de Las Vegas ganhou o público com um show mais pesado que o áudio do disco Night Visions (2012), mas não menos pop.

Galeria: as músicas que transformaram artistas em grandes estrelas

Antes de serem recebidos como rockstars de primeira linha no Benjamin Franklin Parkway – homens e mulheres vibraram ao ouvir não só o hit “Radioactive”, mas também “It’s Time”, “Demons” e “Tip Toe” –, os quatro integrantes conversaram com a Rolling Stone Brasil – e disseram que pretendem ir ao país no ano que vem.

“Só tenho uma coisa a dizer: ‘Tudo bem? [em português’”, brincou, aos risos, o guitarrista Wayne Sermon. “A gente está muito honrado de ser ao menos conhecido no Brasil. Estamos contando os dias até poder visitar o país pessoalmente. Esperamos ir no ano que vem e experimentar a feijoada. Ouvi que é muito delicioso.”

O vocalista Dan Reynolds, querido pelo público feminino por outras razões além da voz, disse que a ideia de ir para o Brasil e países vizinhos já está na cabeça da banda. “Começamos a fazer planos na semana passada de ir para a América do Sul. Há algum tempo queremos ir pra lá”.

Com um grande tambor taiko no palco e outros instrumentos de percussão ao seu lado, Reynolds comanda o público com simpatia e intensidade. Andando de um lado a outro, puxando a camiseta, alisando os cabelos ondulados e molhados de suor, o vocalista faz seu papel de frontman, enquanto os outros integrantes mantêm a base de indie rock rolando. Diferentemente do único disco de estúdio (eles também têm diversos EPs na bagagem), ao vivo existe até espaço para solos, além dos coros que são marca registrada do quarteto.

Para Reynolds, que é casado e tem uma filha, o tempo cada vez maior que o grupo passa na estrada não é problema em casa. “Nós somos como família na estrada, em diversos sentidos”, ele diz, sobre seus companheiros de banda. “Eles são como irmãos para mim. Ficamos próximos, trabalhamos muito e mantemos nossas vidas separadas nesse sentido. Mantemos a vida pessoal realmente pessoal na estrada.”

Experimentando o sucesso pela primeira vez, o Imagine Dragons diz dar valor a todas as dificuldades pelas quais passaram até serem conhecidos pelo mundo todo, como hoje. “Passamos por tanta coisa, que agora que estamos tendo um caminho mais suave, indo a diversos lugares, tocando para públicos diferentes... É incrível ver que nossa música nos levou tão longe. Realmente nos uniu de um jeito que não acho que muitas outras pessoas podem sentir”, declara o baixista Ben Mckee, sempre reafirmando o quão amigos são os quatro – diferentemente de outra banda de Las Vegas, o The Killers, em que os integrantes não parecem manter muita proximidade.

Ouça abaixo “Radioactive”, o grande hit do Imagine Dragons: