Integrante presa do Pussy Riot é hospitalizada

Nadezhda Tolokonnikova estaria com dores de cabeça causadas pelo trabalho excessivo e falta de descanso na prisão

Redação Publicado em 01/02/2013, às 11h36 - Atualizado às 12h43

Pussy Riot
Reprodução

Nadezhda Tolokonnikova, presa desde outubro pela “oração punk” feita em uma catedral de Moscou ao lado das companheiras de Pussy Riot, está com problemas de saúde e foi transferida no dia 24 de janeiro para um hospital, onde ainda permanece, segundo informações da agência Associated Press.

Galeria: relembre bandas e atores que, ao defender causas, arrumaram encrencas com autoridades.

Desde o meio do ano passado, Nadezhda reclama de dores de cabeça que pioraram a partir do momento que teve que viver na cadeia. Segundo Yekaterina Samutsevich, a única das três integrantes do Pussy Riot que foram a julgamento livre, as dores foram originadas pelo trabalho excessivo na prisão. “Eles não a permitem descansar em nenhum momento. Ela trabalha quase o tempo inteiro”, disse em entrevista a uma televisão independente do país.

Esta não é a primeira vez que uma das integrantes do Pussy Riot tem problemas na cadeia. Maria Alyokhina foi em novembro transferida para uma cela individual depois de entrar em confronto com outras detentas.

A história da banda e a onda de protestos que gerou em todo o mundo foi registrada em documentário exibido pela primeira vez no Festival Sundance de Cinema, nos Estados Unidos. Pussy Riot - A Punk Prayer foi dirigido por Mike Lerner e Maxim Pozdorovkin e teve direitos adquiridos pela HBO, que ainda não revelou quando exibirá o longa.