Jota Quest estreia parte visual da turnê Pancadélico neste sábado, 16, no Rio de Janeiro

Na mesma data, a banda vai assumir o Instagram da Rolling Stone Brasil para mostrar os bastidores do cotidiano do Jota em dia de show

Redação Publicado em 15/04/2016, às 18h30 - Atualizado às 19h13

Jota Quest: 20 anos de carreira
MAURICIO NAHAS/DIVULGAÇÃO

Sucesso nas rádios com “Blecaute” (com participação de Nile Rodgers e Anitta), neste sábado, 16, o Jota Quest leva o show da turnê Pancadélico para a Fundição Progresso, no Rio de Janeiro. Na mesma data, o grupo mineiro vai assumir o Instagram da Rolling Stone Brasil (siga a gente aqui) para mostrar como é um dia de apresentação na vida do quinteto.

O repertório da performance contará com as músicas do novo álbum, como a já citada “Blecaute”, “A Vida Não tá Fácil pra Ninguém”, “Sexo e Paixão” e “Um Dia pra Não se Esquecer”, além de relembrar os sucessos antigos (“Na Moral”, “Fácil”, “Encontrar Alguém”) e fazer uma homenagem a Stevie Wonder.

“Os ensaios começaram em fevereiro e de lá para cá já passamos por Cuiabá, Belém, Porto Alegre, Maceió, Brasília e várias cidades do interior”, conta o vocalista Rogério Flausino. “A receptividade com as novas canções está sendo incrível.”

“Neste show do Rio iremos estrear a parte visual da turnê. Tem uma turma bacana de BH, o MIR, Estúdio de Tecnologia Criativa, que assina o conteúdo visual do espetáculo. Acho que um destaques será, com certeza, a parte das animações, criadas a partir dos grafites que OsGemeos produziram para a capa do álbum. Teremos uns bonecos B-Boys, que viraram os mascotes da turnê, dançando e interagindo no groove das musicas nos telões”, complementa.

O conteúdo do show, que agora ganha o acompanhamento visual, deverá virar um DVD “para o fim do ano ou início de 2017”, conforme planeja a banda. “Este show do Rio e o do próximo dia 7, em São Paulo, no Espaço das Américas, são o pontapé inicial da temporada. Acho que ainda precisamos rodar um pouco mais até que tudo esteja em ponto de bala para ser devidamente registrado”, diz.

Formado ainda por PJ (baixo), Paulinho Fonseca (bateria), Márcio Buzelin (teclado) e Marco Túlio Lara (guitarra), o Jota Quest buscou um equilíbrio na hora de montar o repertório. “Estamos tocando umas 22 músicas. Destas, seis ou sete são do novo álbum e outras três ou quatro do anterior, Funky Funky Boom Boom. O restante são hits que marcaram a carreira. Algumas mais dançantes e outras mais tranquilas que é para deixar o baile o mais equilibrado possível”, acrescenta Flausino, que revela ainda que essas performances já integram a celebração dos 20 anos de carreira do Jota. “Ao final daqueles dois anos de comemorações [dos 15 anos], combinamos que seria muito importante e instigante que comemorássemos os 20 anos de banda divulgando um bom álbum de inéditas. E é o que estamos fazendo. O Pancadélico é a trilha sonora dos 20 anos do Jota Quest. Estaremos em turnê com este show até, no mínimo, o carnaval de 2017. Depois, só Deus sabe. Estamos bolando um livro de fotos e causos desses 20 anos e a Sony Music deverá lançar um box comemorativo com todos os discos remasterizados, incluindo remixes e raridades.”