Ke$ha processa produtor musical Dr. Luke por abuso sexual e agressão

Cantora diz que foi forçada a consumir drogas com o intuito de ficar vulnerável

Redação Publicado em 14/10/2014, às 14h56 - Atualizado às 16h17

Kesha e Dr. Luke
AP/Chris Pizzello

Ke$ha abriu um processo contra o produtor musical dela, Dr. Luke. De acordo com o site TMZ, a cantora o acusa de tê-la agredido sexual, física e emocionalmente desde que ela tinha 18 anos e começou a trabalhar com ele.

Galeria: relembre parcerias inusitadas da música, como a de Iggy Pop e Ke$ha.

Ke$ha afirma que Dr. Luke, que já trabalhou com cantoras como Miley Cyrus, Katy Perry e Christina Aguilera, a forçava a consumir drogas para deixá-la vulnerável a investidas sexuais dele. Nos documentos obtidos pelo veículo, ela descreve a vez em que ele a obrigou a cheirar uma droga não nomeada antes de embarcar em um avião e a estuprou durante a viagem.

Em outra ocasião, ele teria forçado Ke$ha a beber e, em seguida, deu a ela pílulas para que ela ficasse sóbria. A cantora afirma ter acordado no dia seguinte na cama do produtor se sentindo mal e sem se lembrar de como havia chegado lá. Ke$ha, que solicitou ao juiz o cancelamento do contrato dela com o produtor, também cita uma agressão física ocorrida na casa da própria cantora, em Malibu, nos Estados Unidos.

Ke$ha fala sobre "Till The World Ends", que escreveu para Britney Spears.

Segundo a cantora, que foi internada no início deste ano em uma clínica de reabilitação para tratar uma bulimia, o histórico de abusos foi a principal causa do desenvolvimento do distúrbio alimentar. Ela diz que o produtor a ofendeu, dizendo “Você não é tão bonita, você não é tão talentosa, você só tem sorte de me ter".

“O processo é um esforço sincero da parte de Ke$ha para retomar o controle de carreia musical e de liberdade pessoal dela. Isso após sofrer dez anos de abuso emocional, manipulação mental e agressão sexual pelas mãos de Dr. Luke", disse Mark Geragos, advogado de Ke$ha, ao veículo TMZ.