Kiss, Guns, AC/DC e mais: 11 bandas que mandaram mal no primeiro show

Todo mundo tem que começar por algum lugar - nem que seja tocando para ganhar US$ 1 ou ter só sua mãe te aplaudindo

Yolanda Reis Publicado em 16/06/2019, às 09h00

None
Gene Simmons (Foto:Gustavo Vara)

O Kiss realiza até o final deste ano a End of The Road Tour, sua turnê de despedida. No total, a turnê conta com mais de 100 shows, e cada um tem, em média, 15 mil pessoas na plateia - somando 1,5 milhão de fãs do Kiss na América do Norte, Europa e Oceania - e quase US$ 100 milhões de lucro. Um número impressionante para uma banda que tocou seu primeiro show para 10 pessoas e conseguiu US$ 50 por isso.

Guns N’ Roses, também, avançaram muito na estrada. Quem vê seu avião particular estilizado não imaginaque eles já chegaram a ficar quase dois dias inteiros sem dormir, pedindo carona na estrada, para poderem tocar um show - que foi um fiasco, ainda por cima.

Todas as grandes bandas que conhecemos tiveram um primeiro show em um época que não eram nada conhecidos, e não eram nada além de garotos assustados com uma plateia e sem fazer ideia do que estavam fazendo.

Separamos 11 histórias de primeiros shows de grandes bandas para você conhecer:

Motley Crue

O primeiro show do Motley Crue foi em abril de 1981. A banda não teve uma boa primeira apresentação: a plateia detestou e tudo virou briga, conforme contou Vince Neil em The Dirt, a biografia que depois virou um filme. “As pessoas ficavam gritando ‘f****-se’ e mostrando o dedo do meio. Então um metaleiro, usando uma camiseta do AC/DC, deu uma catarrada na minha calça de couro branca. Sem nem pensar, eu pulei do palco no meio de uma música, dei um mata leão e comecei a bater nele. Olhei para trás e Nikki [Six] estava segurando o baixo acima da cabeça, e jogou com tudo em um cara. Se esse cara tivesse um sino na cabeça, iria tocar bem alto.”

Sepultura

O show foi há 35 anos, em Belo Horizonte, quando os irmãos Cavalera estavam no início da adolescência. Igor contou a história para o Cvlt Nation. “No Sepultura, nesse show, éramos eu, meu irmão Max e Wagner, do Sarcófago. Foi meio doido, porque o Paulo [baixista] estava de férias da escola e estava viajando. E um outro cara que tocava guitarra com a gente não pode ir porque a mãe dele não deixou. E ele era bem mais velho que a gente: foi meio doido, porque ele tinha uns 18 anos ou mais, e a mãe dele não deixava ele sair de noite. A gente tinha uns 12 ou 13 anos e passávamos a noite fora. Então foi bizarro.

Mas o show foi bem legal, e a gente abriu para o Overdose. Eles perguntaram ‘querem tocar com a gente?’ e ninguém deixava a gente tocar na época. A gente tocou depois do Overdose, e todo mundo foi embora quando começamos. As únicas pessoas que sobraram eram um punk e um skinhead que estavam meio perdidos em BH, porque eles não eram de lá. Até nossos amigos disseram ‘esse show foi horrível, cara.’ Mas a gente gostou muito, então foi estranho.”

Blink-182

A banda não teve um bom primeiro momento. Tocariam, inicialmente, três músicas para uma plateia bem pequena - só o dono e o bartender. “A gente estava tocando num bar no sul de San Diego, em 1992”, contou Mark Hoppus. “Era só o bartender, o dono e nós três. Nós tocamos uma música, e aí [o dono] disse ‘vocês podem abaixar um pouco?’, e nós abaixamos. Então tocamos outras, e ele ‘vocês podem abaixar mais?’, e abaixamos”, disse.

O show teria só três músicas, mas nunca chegou a terminar “[Quando íamos tocar a terceira música], o cara virou pra gente e disse ‘quer saber, gente, vamos encerrar. Já deu. Tomem um pouco de chá gelado, vocês mereceram”, relembrou.

Guns N’ Roses

A banda tocou o primeiro show em Los Angeles sem muitos incidentes, e logo depois embarcaram em uma turnê pelos Estados Unidos. Mas pouco depois de saírem de casa, o carro quebrou - e eles ficaram mais de 40 horas pedindo carona até conseguirem chegar onde precisavam, e apenas para descobrirem que ganhariam apenas metade do que tinham combinado antes e que não haveria mais turnê alguma. Apesar dos contratempos, para Duff McKagan aquilo foi demais. “Guns não era mais só uma banda, mas A banda - nossa banda.”, disse em sua autobiografia.

Def Leppard

Em 1978, a banda apresentou seu primeiro show em um refeitório de um colégio. Eles arrumaram os instrumentos, os estudantes se reuniram, começaram a tocar, e…. nada. Todo mundo começou a rir, e eles disseram que se sentiram péssimos. O problema é que o amplificador estava plugado na tomada, mas ninguém o ligou. Eles ganharam, no total US$ 1 pela apresentação.

Butcher Babies

A banda de heavy metal, no começo da carreira, tentava sempre impressionar, e colocava garotas semi nuas em cima do palco, assim como uma máquina que jorrava sangue falso. E as medidas teatrais que causaram o problema. Em um de seus primeiros shows, a máquina de sangue saiu do controle e não parava de jorrar. Eles começaram a ficar ensopados. O cabelo da vocalista, loiro, ficou manchado de vermelho por alguns dias, e a bateria cheia de meleca ficou inaudível.

Kiss

Em 1973, antes mesmo de terem um agente, a banda conseguiu três apresentações em um clube de Nova York chamado Popcorn Club. Eles receberam US$ 50 por noite, e tocaram, em média, para 10 pessoas. Mas esses shows abriram o caminho para a banda, e mesmo lá atrás já tinham alguns clássicos como "Deuce," "Black Diamond," e "Watchin' You" na setlist.

AC/DC

A banda australiana conseguiu a proeza de tocar em Nova York no réveillon de 1973 em uma boate não muito popular. Era um dos primeiros shows deles, e eles não tinham músicas o suficiente para tocar durante o tempo que precisavam - e apelaram para cover dos Beatles, Rolling Stones e Elvis Presley. Ninguém ali tinha ouvido falar da banda, e não estavam gostando muito. O gerente da casa, então, não estava gostando nada. A cada 20 minutos, mais ou menos, ficava irritado e desligava a energia do palco, e reclamava que eles estavam tocando alto demais.

The Velvet Underground

A banda foi convidada para tocar três músicas, também em um refeitório de escola. Mas as letras pouco adequadas para um ambiente estudantil de “Venus In Furs” e “Heroin” não agradaram, e metade das pessoas foi embora antes que eles terminassem a segunda das três músicas.

Megadeth

Em 1984, Kerry King, do Slayer, tocava a guitarra nos shows do Megadeth. As apresentações eram carregadas de álcool e drogas, e a plateia refletia isso com comportamentos meio alucinados. Em um dos primeiros shows da banda, um fã subiu no palco, agarrou o baixo de Dave Ellefson e arrancou uma das cordas - a que ele mais usava na música que tocava, e a apresentação terminou sem um baixo.

Metallica

Em 1982, a banda entrou num palco pela primeira vez. Uma plateia relativamente grande, se comparada à muitas outras. Logo que começaram a tocar, uma das cordas da guitarra de Dave Mustaine estourou. Todos os outros integrantes e a plateia então pararam, constrangidos, enquanto ele trocava as cordas do instrumento. James Hetfield, sem instrumentos, disse que não sabia o que fazer, e Lars só queria se esconder atrás da bateria. Rock n’ roll.  

+++ MINHA PLAYLIST: Rael está "envolvidão" por Bob Marley e Caetano Veloso