Lana Del Rey defende show em Israel: “Música é universal”

A cantora também declarou que “se apresentar em Tel Aviv não é uma declaração política, da mesma forma que cantar na Califórnia não significa que eu compartilho da opinião do governo de lá”

Rolling Stone EUA Publicado em 20/08/2018, às 16h22 - Atualizado às 16h36

Lana Del Rey em cena do videoclipe de "Lust for Life"
Reprodução/Vídeo

Lana Del Rey fará uma apresentação na próxima edição do festival Meteor, que acontecerá em Tel Aviv entre 6 e 8 de setembro. Apesar das críticas e de vários artistas apoiarem um boicote à cultura da cidade israelense, ela tuitou que a opção de agendar o show lá se deve ao fato de que "música é universal".

Ela afirmou que cantar em Israel não significa que ela apoie e compactue com as opções políticas do país. "Acredito que música é universal e deva ser usada para unir as pessoas. Aceitamos fazer o show com a intenção de tocar para as crianças, com uma energia de amor e enfatizando a temática da paz."

Ela continuou dizendo que "nem sempre concordamos com a política dos lugares em que tocamos dentro do nosso próprio país" e exemplificou: "se apresentar em Tel Aviv não é uma declaração política, da mesma forma que cantar na Califórnia não significa que eu compartilho da opinião do governo de lá".

A Palestinian Campaign for the Academic and Cultural Boycott of Israel (Campanha para Boicote Acadêmico e Cultural da Palestina) respondeu o tuíte de Lana com a seguinte mensagem: "Nós realmente esperamos que reconsidere sua decisão. Duvidamos que você teria se apresentado na África do Sul durante o Apartheid, assim como artistas se recusam a fazer shows em Israel. Por favor, respeite nossos limites e cancele o show no Meteoro."

Thom Yorke, líder do Radiohead (outra banda que fez questão de se apresentar em Tel Aviv), também já havia feito declarações parecidas com as de Lana, dizendo que "tocar em um país não é o mesmo que apoiar seu governo".