Lana Del Rey revela o desejo de morrer e que Lou Reed queria colaborar com ela

Uma das músicas do novo disco, “Brooklyn Baby”, foi criada pela cantora inspirada no antigo líder do Velvet Underground

Rolling Stone EUA Publicado em 13/06/2014, às 10h21 - Atualizado às 10h23

-
Chris Pizzello/AP

Lana Del Rey gosta tanto da ideia da morte que ela gostaria de já estar morta. Ou pelo menos foi o que ela disse ao britânico The Guardian. Quando os nomes de Kurt Cobain e Amy Winehouse vieram à tona na entrevista, a cantora cujo disco de estreia chamava Born to Die revelou esse desejo mórbido. “Eu não quero continuar fazendo isso, mas estou”, disse ela ao jornal. E o “isso” quer dizer “tudo”. “É assim que eu me sinto”, diz ela. “Se eu não estivesse, não diria. Eu ficaria assustada caso soubesse que [a morte] está chegando, mas...”. Lana não termina a frase.

Sabe quando custa o cachê de Lana Del Rey e outros artistas? Veja aqui.

Outro músico morto também entra na conversa, mas de uma forma mais pessoal para Lana. A cantora diz que Lou Reed, antes da morte dele, estava interessado em trabalhar com ela. E ela escreveu a recém-lançada “Brooklyn Baby”, que estará no disco Ultraviolence, pensando nele.

Lana Del Rey diz que sua "musa" é “muito instável”.

Antes de revelar essas duas novas informações, Lana já havia contado ao site Fader que ela sofria de uma “anormalidade médica que os médicos não conseguiram identificar” no início de 2012. “Isso ocupa uma grande parte da minha vida”, disse ela. “Eu sinto que estou doente o tempo todo e não consigo entender o motivo.”

Lana del Rey surpreende-se com a própria popularidade no Planeta Terra. Relembre todo o festival.

A própria lista de músicas de Ultraviolence lidam com uma temática bastante melancólica, como “Cruel World”, “Sad Girl” e “Pretty When You Cry”. O álbum chega às lojas no dia 17 de junho.