Lenda do country norte-americano, Merle Haggard morre aos 79 anos

Histórico cantor e compositor morreu na casa dele, na Califórnia, após sofrer com uma pneumonia

Rolling Stone EUA Publicado em 06/04/2016, às 18h43 - Atualizado às 19h04

Uma das lendas do country norte-americano, o cantor e compositor Merle Haggard
Rick Bowmer/AP

Merle Haggard, que ao longo de seis décadas compôs e apresentou um dos maiores repertórios da música country, capturando as condições dos Estados Unidos com histórias de pobreza, perda, da classe trabalhadora, corações partidos e vida dura, morreu na casa dele no San Joaquin Valley, na Califórnia (EUA). Ele tinha 79 anos de idade e batalhava contra uma pneumonia, segundo confirmou uma representante dele, Tresa Redburn.

Na música country norte-americana, poucos artistas brilharam mais. A carreira de Haggard teve 38 hits country no primeiro lugar das paradas no país, e o estilo rústico e durão dele influenciou artistas tanto do country quanto do rock and roll, de Waylon Jennings e Gram Parsons a Jamey Johnson e Eric Church. Como compositor, Willie Nelson o chamou de “um dos melhores.”

“Merle Haggard sempre é tão profundo quanto possível”, disse Bob Dylan à Rolling Stone EUA, em 2009. “Totalmente ele. Grande demais para o Monte Rushmore. Não há superficialidade relacionada a ele. Ele definitivamente transcende o gênero country. Se Merle estivesse nas redondezas do Sun Studio, em Memphis, nos anos 1950, Sam Phillips o transformaria em um astro do rock and roll, um dos melhores.”

Haggard não precisava se esforçar para conseguir inspiração. As melhores músicas dele – a descrição da pobreza durante a Grande Depressão em “Hungry Eyes”, os diários de prisão de “Sing Me Back Home” e “Mama Tried”, os hinos da vida difícil “I Think I'll Just Stay Here and Drink” e “Back to the Barrooms” – foram todos retirados de páginas da própria vida dele.

No ultimo mês de janeiro, quando deu a última entrevista à Rolling Stone, ele estava se preparando para entrar em turnê, apesar de ter acabado de ficar internado por duas semanas em um hospital devido à pneumonia. “Eles me deram uns esteroides uma vez e eu levantei e já estava dando aulas de judô”, brincou.

“Não consigo me levantar com peso”, seguiu ele. “Minha esposa está tomando contra de mim. Perdi muito peso. Vou aparecer diferente no palco. Bem, vou continuar no topo. Tenho escrito muito e estou orgulhoso de estar vivo e espero que as pessoas percebam isso. Eu realmente, sinceramente, agradeço a todos pelas preces.”