Lenny Kravitz fala sobre papel em Jogos Vorazes

"Ele sabe o que está fazendo, é confiante e tem um grande coração", conta o músico sobre Cinna; veja nova foto do filme

STEVE APPLEFORD Publicado em 02/02/2012, às 07h55

Lenny Kravitz e  Jennifer Lawrence em cena de Jogos Vorazes
Murray Close/© 2011 Lions Gate Films Inc

Lenny Kravitz escolheu uma vida de rock e soul e, até pouco tempo atrás, nunca tinha pensado em fazer filmes. “Nos últimos 22 anos, enquanto eu estava fazendo música, muitos filmes me foram oferecidos”, Kravitz conta à Rolling Stone EUA. “Eu apenas não achava os papeis muito interessantes – um monte de clichês, coisas realmente óbvias.”

Veja a foto ao lado em tamanho maior.

Isso mudou na primeira participação de Lenny em um filme, o drama Preciosa, de 2009, e agora com Jogos Vorazes. Baseado no primeiro de uma série de livros que se tornaram best-sellers, o longa-metragem é situado em uma América do Norte pós-apocalíptica, enquanto gladiadores adolescentes são escolhidos para lutar até a morte em jogos anuais, transmitidos pela televisão. Kravitz interpreta Cinna, estilista e confidente de Katniss Everdeen (papel vivido por Jennifer Lawrence), figura central na trama.

“Eu sempre pensei que isso podia voltar para a minha vida”, diz o músico sobre atuar. “Eu fui ator quando era criança. Quando percebi que o meu negócio era a música, desisti. Foquei apenas na música. Agora, isso voltou, e estou realmente curtindo.”

Kravitz aceitou o papel depois de se encontrar com o director Gary Ross e de ler o primeiro livro da trilogia, escrita por Suzanne Collins. “Eu achei que era uma história muito boa”, afirma. “Gosto muito de histórias, o personagem era interessante. E gosto dos trabalhos anterior do Gary.”

Em Jogos Vorazes, Cinna cria impressionantes figurinos para a jovem lutadora, o que não é necessariamente um mundo novo para o roqueiro. “Ele é muito aerodinâmico, muito quieto”, Kravitz conta sobre Cinna. “Ele sabe o que está fazendo. É confiante, tem um grande coração. Eu gostei do modo como ele se movie – muito suave.”

Na música, Kravitz está acostumado a ter o total controle sobre seu trabalho – escrevendo, tocando e produzindo – e isso reflete nele como artista. “É tudo comigo, como deve ser”, ele diz. “Mas nesse caso, não tem nada a ver comigo. É a visão de um diretor, de um personagem, e eu gosto disso.”

O filme vai estrear no dia 23 de março. Em seguida, Kravitz vai trabalhar em Negrophilia, o álbum de funk que ele interrompeu no ano passado para gravar o disco Black and White America. A música continua sendo seu foco, mas ele agora também se considera um ator em atividade. “Estou apenas esperando os papeis certos.”